PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Dívidas de empresas no Simples somam quase R$20 bi, aponta Receita

17/09/2018 15h53

BRASÍLIA (Reuters) - As dívidas em atraso das companhias que integram o Simples, regime tributário simplificado para microempresas e empresas de pequeno porte, somam 19,5 bilhões de reais, informou nesta segunda-feira a Receita Federal, que notificou os 716.948 devedores sobre possível exclusão no programa caso não haja regularização.

Na média, a dívida é de cerca de 27.200 reais por contribuinte.

As empresas terão 30 dias para a regularização da totalidade dos débitos à vista, em parcelas ou por compensação, disse a Receita. O prazo será contado a partir da ciência dos chamados Atos Declaratórios Executivos (ADE), disponibilizados de 10 a 12 de setembro, segundo o Fisco.

Caso as pendências não sejam regularizadas, a exclusão do regime terá efeito a partir de 1° de janeiro de 2019.

Segundo a Receita, o valor total engloba as dívidas previdenciárias e não previdenciárias, junto tanto ao próprio órgão quanto à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

Em falas recentes, membros da equipe econômica têm chamado atenção para a necessidade de revisão do Simples para torná-lo mais rígido. A secretária-executiva da Fazenda, Ana Paula Vescovi, avaliou que o limite de 3,6 milhões de faturamento anual para adesão ao programa é muito alto comparado a outros países.

Com isso, o programa, que ela classifica como principal iniciativa de simplificação tributária no país, estaria escapando de seu objetivo, até inibindo o crescimento das empresas, pois algumas preferem permanecer no regime pelas vantagens tributárias, em vez de faturar mais.

Em 2017, o Simples e o Microempreendedor Individual (MEI) implicaram renúncia tributária de 82,51 bilhões de reais, segundo Relatório Fiscal do Tesouro Nacional.

(Por Marcela Ayres; Edição de Iuri Dantas)