ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Marfrig quase dobra capacidade de produção de hambúrguer após acordo com BRF

Alberto Alerigi Jr.

07/12/2018 11h29

SÃO PAULO, 7 Dez (Reuters) - A Marfrig  vai quase dobrar sua capacidade de produção de hambúrguer no mundo após acordos com a BRF envolvendo compra da argentina Quickfood e aquisição de fábrica da rival em Várzea Grande (MT), afirmou o presidente-executivo da companhia, Eduardo Miron, nesta sexta-feira (7).

O acordo acertado pela Marfrig com a BRF envolvendo a Quickfood, que é dona das marcas Paty e Vienissima, representa uma recompra da empresa pelo grupo brasileiro que em 2011 vendeu a operação para a BRF, em uma troca de ativos.

Miron não deu detalhes sobre a diferença de valor entre as duas operações, mas afirmou que o valor pago agora pela Marfrig para ficar com a Quickfood foi menor que o pago pela BRF na época.

A BRF informou nesta sexta-feira que o valor da transação envolvendo a Quickfood é de US$ 60 milhões, e o negócio envolve três fábricas com capacidade para abate de 620 cabeças por dia e processamento de seis mil toneladas por mês de hambúrgueres, salsichas, frios e vegetais congelados.

"Estamos agregando uma capacidade de produção de 108 mil toneladas (por ano). Antes dos acordos tínhamos uma capacidade global de 125 mil toneladas", disse Miron em teleconferência com jornalistas.

Além do aumento de capacidade, a Marfrig agora terá fábricas de produção de hambúrguer em todas as localizações onde possui ativos de produção de carne bovina: Brasil, Argentina, Uruguai e Estados Unidos.

Questionado sobre a possibilidade da Marfrig distribuir as marcas da Quickfood no Brasil, o presidente-executivo da companhia para América do Sul, Miguel Gularte, afirmou que a empresa está com estudos avançados para tanto.

"É uma possibilidade muito interessante por causa do crescimento do segmento de hambúrguer gourmet no Brasil. Além disso, a Vienissima é um caso de sucesso em toda a América do Sul", afirmou o executivo.

(Edição de Maria Pia Palermo)

Mais Economia