PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Petrobras diz que tomou medidas após vazamento e defende que não há mais óleo no mar

25/02/2019 18h06

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras defendeu que foram efetivas as medidas tomadas pela companhia em resposta a um vazamento da plataforma P-58, terceira maior produtora do Brasil, ocorrido na parcela capixaba da Bacia de Campos na madrugada de sábado, após realizar sobrevoo sobre a área onde ocorreu o incidente.

"A Petrobras informa que, em sobrevoo no início da tarde desta segunda-feira, verificou que não há mais óleo decorrente do vazamento", disse a petroleira estatal em nota à imprensa.

A empresa havia informado anteriormente que foram realizadas atividades de recolhimento, contenção e dispersão do óleo vazado desde as primeiras horas da manhã de sábado.

O vazamento teve origem no rompimento de mangote da plataforma durante operação de transferência de petróleo para navio aliviador, segundo informações anteriores da estatal.

"Não houve vítimas nem impacto para a operação, e a plataforma permanece em condição segura", acrescentou a Petrobras, destacando ainda que uma comissão interna "prossegue apurando as causas" da ocorrência.

A Petrobras afirmou no sábado que o rompimento do equipamento causou derramamento no mar de volume de óleo inicialmente estimado em 188 mil litros.

O órgão ambiental federal Ibama afirmou no final da tarde de sábado, também após sobrevoo no local, que o trecho de maior concentração da principal mancha atingia 2,4 km de extensão por 0,55 km de largura.

Segundo o Ibama, um laudo técnico vai determinar a dimensão do dano ambiental e servirá de base para aplicação de eventuais sanções à Petrobras.

A petroleira disse que suas ações de respostas à emergência adotadas foram acompanhadas pela Marinha do Brasil, pelo Ibama e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Nesta segunda-feira, a ANP informou que abriu um processo de investigação sobre o vazamento, para apurar as causas do incidente e divulgar um alerta de segurança para a indústria, de forma a evitar a ocorrência de outros casos semelhantes.

Em operação a cerca de 80 quilômetros da costa do Estado capixaba, no Parque das Baleias, Bacia de Campos, a P-58 produziu média diária de 142,4 mil barris de petróleo e 4,5 milhões de metros cúbicos de gás natural em dezembro, segundo os últimos dados publicados pela agência reguladora.

Apenas as plataformas Cidade de Maricá e Cidade de Ilha Bela, ambas em operação no pré-sal da Bacia de Santos, produziram mais do que a P-58 em dezembro.