PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Thyssenkrupp se prepara para substituir CEO

25/09/2019 10h36

Por Christoph Steitz e Tom Käckenhoff

FRANKFURT/DUESSELDORF (Reuters) - A Thyssenkrupp disse que está se preparando para substituir seu presidente-executivo Guido Kerkhoff, fazendo dele a mais recente vítima do conglomerado alemão de aço para submarinos, que está em crise há mais de um ano.

O plano de dispensar Kerkhoff após 14 meses segue uma dramática perda de confiança entre os principais investidores, que não acreditam mais que o homem de 51 anos possa conseguir uma reviravolta, que inclui vender a divisão mais lucrativa da empresa, a de elevadores.

Isso aumenta a agitação de uma empresa que luta para lidar com a queda nos preços do aço, um mercado automobilístico fraco e uma economia global desacelerando. Desde que Kerkhoff se tornou presidente-executivo, em julho de 2018, a empresa divulgou quatro alertas sobre os lucros.

"O mais importante é que vemos um risco crescente em torno da execução oportuna da estratégia de negócios dos elevadores, criando, por sua vez, mais questionamentos sobre se o balanço estendido da empresa pode ser corrigido nos próximos 6 a 12 meses", escreveram os analistas do Credit Suisse, mantendo um classificação de "underperform".

O plano de Kerkhoff de vender ou listar o segmento de elevadores, aumentar margens e encontrar novas estruturas de propriedade para as outras divisões da Thyssenkrupp foi mal executado e não conseguiu criar impulso, disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto.

"É por isso que os principais donos da Thyssenkrupp tiveram que pisar no freio de emergência", disse uma das fontes, depois que a Thyssenkrupp não deu um motivo para a saída de Kerkhoff em seu comunicado.