PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Wall St apoia alta do Ibovespa, mas incertezas sobre efeitos de Covid-19 amenizam fôlego

Paula Arend Laier

08/04/2020 12h19Atualizada em 08/04/2020 13h37

(Reuters) - O Ibovespa buscava sustentar a trajetória positiva nesta quarta-feira, apoiado pelas altas em Wall St, mas com menor fôlego após um começo de semana mais forte, em meio a contínuas incertezas sobre os efeitos econômicos das medidas contra a covid-19.

Às 12h08, o Ibovespa subia 0,78%, a 76.951,16 pontos. O volume financeiro era de 6,3 bilhões de reais. Nos dois primeiros pregões da semana, o Ibovespa acumulou alta de9,8%.

Para o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, os ativos de risco parecem estar se estabilizando em novo patamar, com a melhora na posição técnica, preços mais atrativos e ações monetária e fiscal ajudando a frear movimentos mais negativos.

Ele ressaltou, contudo, que, para uma inversão de tendência mais estrutural, será preciso mais visibilidade sobre o tempo que esta "parada brusca" vai durar, assim como os efeitos colaterais na economia e no sistema financeiro. "Por ora, temos sinais mais positivos na Itália e Espanha, mas uma situação ainda delicada nos EUA."

Nesta manhã, as praças acionárias no exterior não mostravam uma tendência única.

Em Wall Street, o S&P 500 subia 0,8%, ainda embalado por esperanças de que o surto de coronavírus nos EUA esteja próximo de seu pico, além de expectativas de que o Congresso envie mais ajuda para a economia.

Na Europa, contudo, o londrino FTSE 100 cedia 1,6%.Em Tóquio, o Nikkei fechou em alta de 2,13%.

Na visão do analista Jasper Lawler, do London Capital Group,o otimismo do início da semana está diminuindo à medida que crescem as dúvidas sobre como e quando exatamente as restrições de quarentena e bloqueios terminarão, conforme relatório a clientes.

"Parece que as curvas da pandemia não se achatarão a tempo de atingir os prazos de abril estabelecidos por muitos governos para rever as medidas de bloqueio", citou.

Destaques

- GOL PN avançava 3,8%, com empresas aéreas ensaiando nova sessão de recuperação, após uma série de medidas para aliviar os efeitos da pandemia. AZUL PN mostrava elevação de 3,6%.

- CIELO valorizava-se 8,3%, destaque na ponta positiva e na segunda sessão de alta, após ter registrado mínima de fechamento desde fevereiro de 2011 na última sexta-feira. No ano, a queda das ações ainda é de cerca de 47%.

- PETROBRAS PN tinha alta de 2,4%, respaldada pelo avanço no petróleo no exterior. A companhia também aprovou novos incentivos a desligamentos e estima 3,8 mil adesões.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 3,8%, com bancos mais uma vez referendando o viés positivo do Ibovespa. BRADESCO PN avançava 2%. O presidente do Banco Central afirmou nesta quarta-feira que a atual crise vai gerar entendimento diferente sobre o papel dos bancos e seu capital.

- VALE ON registrava decréscimo de 0,9%, com papéis de mineração e siderurgia em queda também na Europa.

- IRB BRASIL RE caía 4,9%, em destaque na ponta negativa tendo no radar reportagem do Valor Econômico, segundo a qual, a partir de dados enviados à Susep, a companhia teve em janeiro o primeiro prejuízo mensal desde 2016.