PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Magnatas franceses reforçam defesas de Lagardère

25/05/2020 12h55

Por Gwénaëlle Barzic e Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) - A elite empresarial francesa buscava proteger a Lagardère nesta segunda-feira, com Bernard Arnault, da LVMH, e Vincent Bollore, da Vivendi, entrando para reforçar as defesas do grupo editorial contra o fundo de hedge Amber Capital, de Londres.

Os dois bilionários compraram ações do grupo, que no início do mês sobreviveu à tentativa mais ousada do Amber Capital de abalar a estrutura de governança chamada comandita, que centra poder nas mãos do chefe da Lagardère, Arnaud Lagardère.

Arnault, homem mais rico da França, aceitou comprar 25% da Lagardère Capital & Management (LCM), holding pessoal da Arnaud Lagardère, reforçando suas finanças após suas dívidas excederem o valor de sua participação de 7,3% no Grupo Lagardère.

Uma fonte próxima à compra da participação por Arnault na LCM disse que custou menos de 100 milhões de euros e foi motivada pela amizade de Arnault com o falecido Jean-Luc Lagardère, pai de Arnaud.

Enquanto isso, a Vivendi de Bollore elevou a participação na Lagardère SCA para 16,48%. Agora é o segundo maior acionista, após o fundo ativista Amber Capital no mês passado não conseguir afrouxar o controle de Arnaud Lagardère sobre a empresa.

Embora ele possua apenas 7,3% do Grupo Lagardère, Arnaud Lagardère o controla por meio da comandita, um híbrido entre uma parceria e uma sociedade de responsabilidade limitada, o que significa que os acionistas não podem removê-lo como sócio.

(Reportagem de Sudip Kar-Gupta e Domininique Vidalon)

Economia