PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Ibovespa ensaia 7ª alta seguida com exterior favorável

08/06/2020 11h47

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista engatava a sétima alta seguida nesta segunda-feira, tendo de pano de fundo nova sessão positiva nos mercados acionários globais, em meio à manutenção do otimismo com o ritmo de recuperação após a reabertura das economias.

O Ibovespa não mostrava uma série de sete altas seguidas desde fevereiro de 2018. Naquele mês, foram 9 pregões seguidos fechando no azul.

Às 11:40, o Ibovespa subia 1,21%, a 95.785,2 pontos. O volume financeiro somava 8,5 bilhões de reais.

A equipe da Planner citou que a primeira semana do mês foi bastante positiva para a bolsa, apoiada na reabertura das economias e aceleração nos testes para vacina contra a Covid-19. Eles avaliam que a pauta de votações em Brasília pode adicionar volatilidade aos negócios, mas, por outro lado destacam que "começa uma nova onda de otimismo na B3, como se os problemas tivessem ficado para trás".

Mais cedo, a XP revisou o preço-alvo do Ibovespa de 94 mil pontos para 112.000 para o final de 2020.

Nesta semana, destacou a corretora Safra, o Senado deve votar projeto contra as fake news e a pauta da Câmara inclui a flexibilização das regras trabalhistas na pandemia, bem como crédito para as folhas de pagamento, entre outros.

DESTAQUES

- AZUL PN e GOL PN subiam 16,35% e 13,58%, respectivamente, dando continuidade à recuperação após fortes quedas em razão da pandemia. Mais cedo, o presidente do BNDES afirmou que um apoio ao setor aéreo continua sendo negociado com bancos e que ele espera que as negociações continuem até o fim deste mês ou começo do próximo. Ainda no setor de viagens, CVC BRASIL ON valorizava-se 6,98%.

- VALE ON tinha alta de 0,13%, mesmo após a Justiça do Trabalho determinar a suspensão das atividades no complexo de mineração de Itabira, formado por três minas. A alta discreta ocorria com preços do minério de ferro mantendo alta na China. Nesse contexto, as siderúrgicas CSN ON e USIMINAS PNA, que também produzem minério, subiam 9,88% e 4,20%, respectivamente.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON cediam 0,05% e 0,22%, respectivamente, perdendo o fôlego, em meio à piora dos preços do petróleo após o Brent subir para mais de 43 dólares por barril mais cedo, na esteira do acordo da Opep+ para prorrogar cortes na produção.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN valorizavam-se 1,39% e 1,43%, respectivamente, mais uma vez fornecendo suporte relevante para a trajetória positiva do Ibovespa. BANCO DO BRASIL ON tinha alta de 0,94% e SANTANDER BRASIL UNI ganhava 1,96%.

- YDUQS ON caía 3,27%, em sessão de ajustes, após alta de quase 10% no último pregaõ. No setor de educação, COGNA ON mostrava estabilidade.

- CARREFOUR BRASIL ON perdia 1,42%, em sessão negativa para o setor de supermercados, com GPA ON em baixa de 1,27%.