PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Coordenador da Lava Jato em Curitiba recorre ao STF para suspender ações que podem tirá-lo do cargo

10/08/2020 17h21

BRASÍLIA (Reuters) - O coordenador da força-tarefa no Ministério Público Federal da operação Lava Jato em Curitiba (PR), Deltan Dallagnol, recorreu nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a tramitação de dois procedimentos no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que, se forem julgados procedentes, poderão retirá-lo do cargo.

Os procedimentos --que estão previstos para serem julgados pelo CNMP no próximo dia 18-- dizem respeito a pedidos apresentados pelos senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Katia Abreu (PP-TO).

O caso de Renan refere-se a questionamentos à conduta de Deltan por ter feito comentários no Twitter sobre o senador que, alega o parlamentar, teriam prejudicado a campanha dele à Presidência do Senado no ano passado.

No caso da Kátia Abreu, a senadora contestou o fato de que o procurador estaria tendo ganhos econômicos de forma ilegítima ao realizar palestras.

Nas duas ações, que foram distribuídas para o ministro Celso de Mello relatar, Deltan rebateu as alegações e sustentou que casos sobre esses mesmos fatos foram rejeitados pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF).

Esses recursos ao STF de Deltan para se manter no comando da Lava Jato de Curitiba ocorrem em meio à discussão sobre a eventual prorrogação ou não da força-tarefa. Caberá ao procurador-geral da República, Augusto Aras, tomar uma decisão sobre o assunto em setembro.

(Reportagem de Ricardo Brito)