PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Opep+ busca resolver excesso de oferta de mais de 2 mi barris/dia, diz documento

20/08/2020 10h53

Por Vladimir Soldatkin e Rania El Gamal e Ahmad Ghaddar

MOSCOU/DUBAI/LONDRES (Reuters) - Alguns membros da Opep+, que reúne países produtores de petróleo da Opep e aliados, precisarão fazer um corte adicional de oferta de 2,31 milhões de barris por dia (bpd) para compensar a recente produção acima de suas metas, mostrou um relatório interno do grupo visto pela Reuters.

O excedente registrado em maio e julho deverá ser compensado em agosto e setembro, de acordo com o relatório.

A Opep+, que inclui membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros países incluindo a Rússia, concordou com cortes conjuntos de oferta em um nível recorde de 9,7 milhões de bpd em maio, antes de reduzir os cortes para 7,7 milhões de bpd a partir deste mês.

O relatório visto pela Reuters não detalha como os cortes adicionais seriam distribuídos em agosto e setembro. Mas se o número de 2,31 milhões de bpd for adotado e dividido igualmente ao longo dos dois meses, isso levaria os cortes da Opep+ para cerca de 8,85 milhões de bpd.

O documento mostra que a Opep+ espera que a demanda por petróleo em 2020 caia em 9,1 milhões de bpd, ou 100 mil bpd a mais que na projeção anterior. Haveria uma recuperação em 2021, com alta de 7 milhões de bpd.

Mas a Opep+ também vê um cenário alternativo no qual uma segunda onda mais forte e prolongada de infecções pelo coronavírus atingiria Europa, Estados Unidos, Índia e China no segundo semestre.

Nesse cenário, a demanda cairia em 11,2 milhões de bpd em 2020, levando os estoques comerciais de países da OCDE no quarto trimestre para nível 233 milhões de barris acima da média de 5 anos, segundo o relatório.

Os estoques permaneceriam 250 milhões de barris acima da média de cinco anos em 2021.