PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ibovespa avança mais de 7% em semana regida por eleição nos EUA

06/11/2020 18h30

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou a primeira semana de novembro com forte alta e perto dos 101 mil pontos, tendo nos holofotes as eleições nos Estados Unidos e o noticiário corporativo doméstico.

O cenário com o democrata Joe Biden vitorioso na disputa presidencial e o Senado norte-americano mantendo a maioria republicana, que vem se consolidando com a apuração dos votos, endossou fortes ganhos em Wall Street, o que embalou o pregão brasileiro, após um fim melancólico em outubro.

Agentes financeiros entendem que tal combinação reduz a chance de mudanças expressivas de políticas econômicas nos EUA, principalmente em relação à tributação de grandes empresas norte-americanas, e notadamente o setor de tecnologia.

Para Florian Bartunek, sócio-fundador da Constellation Asset, que tem 15 bilhões de reais sob gestão, os mercados no exterior reduziram risco antes das eleições, cautelosos com a chance de uma vitória democrata na Casa Branca e no Senado, o que não se confirmou.

"Isso é bom porque a governança fica equilibrada....Com esse 'problema' saindo da frente, investidores voltam a focar nas companhias e menos na eleição", afirmou. "E a bolsa norte-americana indo bem, afeta também a bolsa brasileira como todas as bolsas do mundo."

Em Nova York, o S&P 500 acumulou uma alta de mais de 7% na semana, com Biden ampliando a vantagem em relação a Trump em Estados cruciais como a Geórgia e a Pensilvânia. Há expectativa de que ele faça um pronunciamento à nação ainda nesta sexta-feira.

Em meio à acirrada disputa nos EUA, mais empresas brasileiras reportaram balanços trimestrais nos últimos dias, incluindo Itaú Unibanco, que ainda anunciou planos envolvendo sua participação na XP, o que fez suas ações dispararem mais de 7% na quarta-feira.

Ultrapar e Ecorodovias garantiram a ponta positiva do Ibovespa na semana em que divulgaram resultados e perspectivas.

Nesta sexta-feira, o Ibovespa fechou com variação positiva de 0,17%%, a 100.925,11 pontos, e alta de 7,42% na semana/mês. No ano, o declínio ainda alcança 12,73%.

Maiores baixas do Ibovespa no dia

Maiores altas do Ibovespa no dia

O índice Small Caps subiu 1,59%, a 2.460,79 pontos, e apurou elevação de 9,34% na semana/mês. No acumulado de 2020, o sinal segue negativo, com queda de 13,38%.

O volume negociado no pregão nesta sexta-feira somava 17,3 bilhões de reais.

NOTÍCIAS DE AÇÕES EM DESTAQUE NA SEMANA:

ENTREVISTA-Constellation vê chance de reação robusta na bolsa em 2021, mas alerta sobre fiscal e inflação

Enjoei estreia 2ª na B3, após girar R$1,1 bi em IPO

BK Brasil avalia oferta primária de ações para acelerar transformação digital

CSN diz que continua comprometida com IPO da CSN Mineração

IPO da Méliuz sai a R$10 por ação, no piso da faixa estimada

Hapvida propõe desdobramento de ações

PORTFÓLIO-Novembro começa com visão de mais volatilidade na bolsa, preços atrativos

AGENDA-Confira as datas de balanços de empresas listadas na B3

DESTAQUES DO IBOVESPA DO ACUMULADO DA SEMANA:

- ULTRAPAR ON subiu 21,73%, após resultado acima das previsões de analistas no terceiro trimestre, com o grupo multissetorial se beneficiando da gradual retomada da economia. O BTG Pactual destacou que o balanço reforçou a tese de que um portfólio bem equilibrado e de que o caráter 'spread business' da Ipiranga devem continuar se beneficiando da recuperação. "Pela primeira vez em muito tempo, vemos espaço para melhorias nos lucros", afirmaram, reforçando recomendação de 'compra'.

- ECORODOVIAS ON acumula elevação de 18,52%, em semana na qual o resultado do terceiro trimestre mostrou que o tráfego nas estradas sob sua gestão se recuperou gradualmente. Para o Bradesco BBI, a companhia deve estar bem posicionada para obter concessões de novos projetos em 2021, bem como a resolução dos reequilíbrios econômicos para as concessões paulistas poderia desbloquear cerca de 7,8 reais por ação. "Mantemos nosso rating de outperform", afirmaram.

- CYRELA ON valoriza-se 15,36% antes do balanço na próxima semana, quando agentes financeiros esperam a repetição da forte prévia operacional e querem ver os efeitos de IPOs de empresas na qual a construtora e incorporadora tem participação (Plano & Plano e Cury). Analistas do Credit Suisse afirmaram esperar que esse bom 'momentum' operacional seja seguido por bons resultados. O setor imobiliário tem a melhor performance entre os índices setoriais na bolsa no mês.

- SUZANO ON cai 0,3%, única variação negativa do Ibovespa nessa semana, em meio ao declínio do dólar ante o real e embolso de lucros, após alta de quase 10% em outubro. No setor de papel e celulose, KLABIN UNIT registra acréscimo de apenas 0,08%.

Veja o comportamento dos principais índices setoriais na B3 no acumulado da semana:

- Índice financeiro: +7,55%

- Índice de consumo: +9,27%

- Índice de Energia Elétrica: +8,92%

- Índice de materiais básicos: +2,82%

- Índice do setor industrial: +6,56%

- Índice imobiliário: +11,96%

- Índice de utilidade pública: +9,9%