PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm nova alta

17/12/2020 10h45

WASHINGTON (Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com pedidos de auxílio-desemprego pela primeira vez subiu inesperadamente na semana passada, já que um aumento implacável nas novas infecções por Covid-19 atrapalhou as operações empresariais, oferecendo mais evidências de que a recuperação da economia diante da recessão pandêmica está vacilando.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 885 mil em dado ajustado sazonalmente na semana encerrada em 12 de dezembro, em comparação com 862 mil na semana anterior, disse o Departamento do Trabalho dos EUA nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 800 mil solicitações na última semana.

Os pedidos de auxílio-desemprego estão acima do pico de 665 mil atingido durante a Grande Recessão de 2007-09, embora tenham caído em relação a um recorde de 6,867 milhões alcançado em março.

O relatório semanal de auxílio-desemprego, que fornece os dados mais oportunos sobre a saúde da economia, veio na esteira de dados de quarta-feira que mostraram que as vendas no varejo dos EUA caíram pelo segundo mês consecutivo em novembro.

O Federal Reserve manteve sua taxa de juros 'overnight' perto de zero na quarta-feira e prometeu continuar injetando mais dinheiro na economia por meio da compra de ativos para combater a recessão. O chair do Fed, Jerome Powell, disse a repórteres que o ritmo da melhora econômica havia se "moderado" e que o caminho à frente permanece "altamente incerto".

Os Estados Unidos estão lutando contra um novo surto de Covid-19, com pelo menos 16,7 milhões de infectados e mais de 304 mil mortos, de acordo com uma contagem da Reuters. Os governos estaduais e locais responderam com restrições renovadas às empresas, enquanto alguns consumidores estão evitando lugares lotados como shopping centers, restaurantes e bares. A Califórnia, onde vivem quase 40 milhões de pessoas, impôs novas ordens rígidas de estadia em casa na semana passada.

As restrições e a renda reduzida -- à medida que milhões de desempregados e subempregados perdem um subsídio semanal financiado pelo governo -- estão reduzindo os gastos do consumidor, o que levará a mais perdas de empregos. Embora uma vacina contra a Covid-19 esteja sendo distribuída, especialistas em saúde dizem que pode levar meses até que haja imunidade coletiva.

O Congresso norte-americano se aproximou na quarta-feira de um pacote de resgate de 900 bilhões de dólares. Economistas disseram que o novo estímulo fiscal poderia limitar -- mas não compensar totalmente -- os gastos do consumidor mais fracos e evitar mais demissões. Mais de 3 trilhões de dólares em ajuda governamental em resposta à pandemia levaram a um crescimento econômico recorde no terceiro trimestre.

Os dados de pedidos de auxílio da semana passada cobriram o período durante o qual o governo consultou os estabelecimentos para a elaboração da parte de criação de vagas de trabalho fora do setor agrícola do relatório de empregos de dezembro. Alguns economistas esperam uma queda no emprego este mês.

(Por Lucia Mutikani)