PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Bolsonaro chama de 'esculacho' valor de ICMS sobre diesel decidido por governadores

Presidente Jair Bolsonaro (PL) na cerimônia de lançamento do programa Renda e Oportunidade - Isac Nóbrega/Presidência da República
Presidente Jair Bolsonaro (PL) na cerimônia de lançamento do programa Renda e Oportunidade Imagem: Isac Nóbrega/Presidência da República

Eduardo Simões

Da Reuters

25/03/2022 11h27Atualizada em 25/03/2022 18h06

O presidente Jair Bolsonaro (PL) classificou nesta sexta-feira de "esculacho" a decisão de governadores de estabelecer o valor de cerca de R$ 1 por litro para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel e disse que o governo federal está disposto a negociar o assunto com os chefes dos Executivos estaduais.

"Um caminhoneiro para ir e voltar daqui (Brasília) a São Paulo vai pagar de ICMS mil reais. Isso é um esculacho!", disparou o presidente em discurso durante cerimônia no Palácio do Planalto.

"Temos que mostrar esse número, buscar um acordo com os governadores, estamos à disposição para conversar, mas que não seja só esfaquear o governo federal, aí é fácil", disse.

Na quinta-feira, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou o valor fixo de 1,0060 real de ICMS para o litro do óleo diesel S10, de uso mais difundido, após aprovação de lei pelo Congresso que determinou a definição de um valor uniforme do tributo pelos Estados.

Apesar de Bolsonaro constantemente apontar o ICMS cobrado pelos Estados como principal vilão da alta dos preços dos combustíveis — que tem ajudado a impulsionar a inflação—, a Petrobras, controlada pela União, tem realizado aumentos frequentes nos preços cobrados em suas refinarias no âmbito de sua política de preços, atrelada à cotação do barril de petróleo no mercado internacional e a variação cambial no país.