PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Confiança do consumidor recua em março por preocupação com inflação, mostra FGV

Pessoas com máscara de proteção caminham em rua de comércio popular em São Paulo - Amanda Perobelli/Reuters
Pessoas com máscara de proteção caminham em rua de comércio popular em São Paulo Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Camila Moreira

Da Reuters

25/03/2022 08h33Atualizada em 25/03/2022 09h22

Os consumidores brasileiros mostraram preocupação com a inflação e o endividamento em março, e a confiança caiu para o nível mais baixo desde o início do ano, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas divulgados nesta sexta-feira.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da FGV teve em março queda de 3,1 pontos e foi a 74,8 pontos, menor patamar desde janeiro (74,1 pontos).

"A insatisfação dos consumidores sobre a situação financeira familiar atinge o menor nível desde abril de 2016 influenciado pela inflação, lenta recuperação do mercado de trabalho e endividamento das famílias, principalmente das famílias com menor poder aquisitivo", explicou em nota a coordenadora das sondagens, Viviane Seda Bittencourt.

"Diante das perspectivas negativas sobre a economia, os consumidores voltam a ficar cautelosos e diminuem seu ímpeto de compras nos próximos meses", completou ela.

Em março, houve piora tanto das avaliações sobre a situação atual como das expectativas em relação aos próximos meses, segundo a FGV.

O Índice de Situação Atual (ISA) perdeu 2,6 pontos, atingindo 65,3 pontos, o menor nível desde abril de 2021 (64,5 pontos) depois de duas altas seguidas.

O indicador que mede a satisfação sobre a situação financeira atual das famílias caiu 5,2 pontos, para 56,9 pontos, menor nível desde abril de 2016 (56,8 pontos).

O Índice de Expectativas (IE), por sua vez, caiu 3,2 pontos, para 82,5 pontos.

A inflação oficial brasileira permanece acima de 10% no acumulado em 12 meses. O mercado de trabalho vem apresentando melhora gradual, mas o país ainda tem mais de 12 milhões de pessoas desempregadas de acordo os últimos dados do IBGE.