PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

BC do Japão reforça compromisso com política monetária ultrafrouxa

28/04/2022 07h32

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão reforçou nesta quinta-feira seu compromisso de manter o programa de estímulo massivo e a promessa de deixar as taxas de juros em níveis ultrabaixos.

Reforçando sua determinação de sustentar a economia frágil, mesmo quando os aumentos acentuados dos custos das matérias-primas elevam a inflação, o Banco do Japão prometeu comprar quantidades ilimitadas de títulos do governo a 10 anos para defender um teto implícito de 0,25% em torno de sua meta zero a cada dia útil.

O compromisso do banco central com seu programa de taxa zero o coloca em desacordo com as principais economias que estão mudando para uma política monetária mais rígida, embora se espere que a inflação no Japão aumente em direção à meta de 2% do banco central.

"O anúncio principal é o compromisso de conduzir operações de taxa fixa todos os dias", disse Bart Wakabayashi, co-gerente do State Street Bank em Tóquio.

"Acho que o que eles estão tentando fazer valer aqui é que estamos prontos para agir a qualquer momento."

O compromisso do Banco do Japão de manter uma política expansionista levou o iene abaixo do limiar psicológico de 130 por dólar pela primeira vez desde 2002.

Os rendimentos dos títulos do governo japonês de referência de 10 anos caíram para uma mínima de mais de três semanas de 0,215% imediatamente após o anúncio.

A reação do mercado reflete, em parte, o aumento das especulações antes da reunião desta quinta-feira de que o banco central poderia permitir que as taxas de longo prazo subissem mais, ou que ajustaria sua orientação de política monetária para combater a queda do iene, uma vez que alguns legisladores se preocupam que novas quedas da moeda poderia prejudicar a economia ao elevar os custos de importação.

O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que a decisão tem como objetivo esclarecer a determinação do banco central de evitar que o aumento dos rendimentos no exterior empurre para cima os custos de empréstimos no Japão.

"O que queremos evitar é que as taxas de juros de longo prazo japonesas fiquem acima de 0,25%, porque isso é inadequado", disse ele, reiterando que não houve mudança em sua visão de que um iene fraco beneficia a economia do país.

Como amplamente esperado, o Banco do Japão deixou inalterada sua meta de -0,1% para as taxas de juros de curto prazo e a promessa de orientar o rendimento dos títulos a 10 anos em torno de 0%.

"O Banco do Japão espera que as taxas de juros de curto e longo prazos permaneçam em seus níveis atuais ou inferiores", disse o banco em comunicado, deixando inalterada a orientação da reunião anterior em março.