PUBLICIDADE
IPCA
0,67 Jun.2022
Topo

Ibovespa recua com Vale e Weg na ponta negativa; Locaweb avança

20/07/2022 11h35

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta quarta-feira, após três altas seguidas, com Vale caindo quase 4% após anunciar corte de previsão de produção para o ano, enquanto Weg cedia cerca de 3% na sequência de resultado trimestral.

Às 11:16, o Ibovespa caía 0,84%, a 97.418,4 pontos, após acumular elevação de mais de 2% nos três pregões anteriores. O volume financeiro no pregão somava 5,3 bilhões de reais.

A bolsa paulista tinha de pano de fundo alguma fraqueza em praças acionárias no exterior, com novas incertezas relacionadas à guerra na Ucrânia minando a confiança de investidores após sessão mais positiva na véspera.

Na Europa, o STOXX 600 cedia 0,4%. Em Nova York, o S&P 500 cedia 0,1%, mas o Nasdaq tinha elevação de 0,5% apoiado pela alta de Netflix após previsão de crescimento de assinantes para o atual trimestre.

Agentes do mercado também aguardam o desfecho de uma importante reunião do Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira, em meio a expectativas de que a instituição eleve os juros pela primeira vez em mais de uma década.

No Brasil, a cena corporativa ocupava as atenções. A fabricante de motores industriais Weg abriu a safra de balanços das empresas que fazem parte do Ibovespa, que deve ganhar fôlego na próxima semana. Dados operacionais da Vale também repercutem nos negócios.

De acordo com estrategistas da XP Investimentos, as atenções na temporada estão voltadas para os impactos da inflação global em alta, disrupções nas cadeias de produção e riscos crescentes de uma recessão nos balanços das empresas brasileiras.

Mas além do cenário de crescimento global bastante desafiador, eles acrescentaram que incertezas quanto ao cenário macro doméstico também vão ficar no radar de investidores.

DESTAQUES

- VALE ON caía 3,7%, após divulgar que produziu 74,108 milhões de toneladas de minério de ferro no segundo trimestre deste ano, queda de 1,2% ante igual período de 2021. A Vale ainda atualizou a previsão de produção para entre 310 milhões e 320 milhões de toneladas. De acordo com analistas do Goldman Sachs, a faixa intermediária do guidance implica nenhum crescimento de produção ante 2021, "o que é decepcionante". Eles cortaram a previsão de expansão do Ebitda da Vale para o período de 2022 a 2024 e reduziram o preço-alvo dos ADRs da Vale de 17 para 15 dólares.

- WEG ON perdia 2,7% após divulgar queda de 19,5% no lucro líquido do segundo trimestre ante mesmo período do ano anterior. O balanço foi impactado por queda de margens operacionais, ainda pressionadas pelas dificuldades relacionadas à cadeia de suprimentos, apesar da "boa demanda" pelos produtos. Analistas do Bradesco BBI consideraram bons os resultados da empresa, mas destacaram que a lucratividade continua a se acomodar em um nível mais baixo. Eles reduziram o preço-alvo das ações de 34 para 32 reais, enquanto reiteraram recomendação 'neutra'.

- LOCAWEB ON avançava 9,5%, beneficiada por relatório de analistas do Credit Suisse que afirmaram esperar resultados positivos para a companhia no segundo trimestre, com uma combinação de receitas robustas e recuperação da margem Ebitda, apesar da desaceleração do comércio eletrônico. A companhia reporta seu balanço no dia 10 de agosto.

- PETZ ON tinha elevação de 4,51%, em sessão mais positiva para ações de varejo. Analistas do Bradesco BBI elevaram o preço-alvo do papel de 17 para 25 reais, com recomendação "outperform", e citaram que é um dos preferidos no setor em amplo relatório para varejistas.

- PETROBRAS PN recuava 1%, em linha com o declínio dos preços do petróleo no exterior, onde o barril de Brent, usado como referência pela companhia, perdia 1,5%, a 105,72 dólares.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN recuavam 1,2% e 1,1%, respectivamente.

- YDUQS ON perdia 4,5% e COGNA ON recuava 6%, novamente entre as maiores perdas do Ibovespa, em meio a expectativas de resultados fracos para o segundo trimestre. Analistas do BTG Pactual estimam números operacionais fracos para abril a junho no setor, prejudicados pela alta inflação de custos e um tíquete médio menor. Citando que os balanços das empresas seguem relativamente alavancados, os analistas avaliam que as taxas de juros mais altas devem gerar resultados negativos para Cogna e Yduqs.