PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Weg tem lucro menor no 2º tri, ações recuam

20/07/2022 12h28

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - A fabricante de motores elétricos e tintas industriais Weg teve queda de 19,5% no lucro líquido do segundo trimestre ante mesmo período do ano anterior e disse em divulgação de resultados nesta quarta-feira que as margens operacionais continuam sob pressão relacionada à cadeia de suprimentos.

O lucro líquido da Weg foi de 913 milhões de reais de abril ao final de junho e as margens operacionais ainda não alcançaram os níveis de 2021, em meio ao aumento dos custos de matérias-primas.

Por volta de 12h20, as ações da Weg caíam cerca de 4%, a 25,90 reais, entre as maiores quedas do Ibovespa na sessão, que recuava 0,4%.

A empresa, com sede em Jaraguá do Sul (SC), observou que os resultados do segundo trimestre de 2021 tiveram impacto positivo não recorrente de créditos tributários, e disse que, ajustado por esse efeito, o lucro líquido do trimestre passado cresceu 6,6% na base anual.

"Os resultados confirmaram nossas expectativas com relação à boa demanda por nossos produtos e serviços", afirmou a empresa em relatório de resultados.

Porém, a margem Ebitda da Weg, observada de perto pelo mercado, caiu 0,6 ponto percentual em relação aos três meses imediatamente anteriores, para 17,5%, enquanto há um ano estava em 24,2%.

Analistas da Guide Investimentos disseram que os resultados foram marginalmente negativos devido à piora das margens, mas observaram um desempenho geral resiliente, com a demanda ainda forte.

"Seguimos com recomendação de compra para a empresa, que deve voltar a reportar números crescentes e margens melhores nos próximos trimestres, conforme os custos arrefeçam", escreveram.

A Weg disse que enfrenta interrupções na cadeia de suprimentos e custos crescentes de matérias-primas, o que implica uma maior necessidade de capital de giro, mas afirmou que seu modelo de negócios, com visão de longo prazo, ajudou a mitigar esses riscos.

A receita operacional líquida da Weg cresceu 25% em relação a igual trimestre do ano passado, para 7,18 bilhões de reais, impulsionada por um salto de 41,1% no faturamento local.

A Weg disse que as receitas no Brasil foram alavancadas pelo bom desempenho no segmento de motores elétricos de baixa tensão, com destaque para setores como geração de energia renovável e transmissão e distribuição de energia. Os mercados externos mostraram boa demanda por bens industriais, acrescentou a companhia.

Analistas do BTG Pactual recentemente elevaram a recomendação da ação da Weg a "compra", dizendo que a empresa era um bom nome defensivo em meio à forte liquidação do mercado.