IPCA
0,26 Set.2023
Topo

Grandes petroleiras fazem pouco em ações sobre o clima, diz painel da Câmara dos EUA

09/12/2022 16h59

Por Timothy Gardner

WASHINGTON (Reuters) - As principais petroleiras não estão fazendo o suficiente para evitar os piores efeitos da mudança climática, apesar das promessas públicas de combater o problema, disse um painel do Congresso dos EUA, com base em documentos divulgados nesta sexta-feira que resultaram em uma investigação.

Os democratas do Comitê de Supervisão e Reforma intimaram os principais executivos do setor de petróleo com base em documentos, que incluíam e-mails corporativos internos, no final do ano passado, após uma audiência questionando-os sobre sua resposta às mudanças climáticas.

Muitos dos documentos mostraram grandes empresas petroleiras discutindo a estratégia de vender ou alienar campos de petróleo e gás para empresas menores para reduzir suas próprias emissões - um movimento que simplesmente repassa essas emissões para a próxima empresa sem reduzi-las, disse o painel.

Em 2019, por exemplo, Jack Collins, então executivo da BPX, a unidade onshore de petróleo e gás da BP, explicou a outro funcionário da empresa em um e-mail interno que a empresa planejava reduzir as emissões por meio de um projeto de bomba solar.

"No entanto, optamos por interromper quase todos esses projetos solares em nossos planos de desinvestimento", escreveu Collins, mostraram os documentos.

Na Shell, o porta-voz Curtis Smith disse em um e-mail interno sobre a alienação de ativos nas areias betuminosas do Canadá: "É verdade, transferimos a responsabilidade de CO2 quando alienamos."

"Não é diferente, no entanto, quando nos é negado o acesso a recursos nos EUA (ou em outro lugar) e essa necessidade de energia é atendida com recursos em um país que (provavelmente) tem muito menos regulamentações do que em uma sociedade moderna e civilizada", disse ele no e-mail.

Nos documentos obtidos pelo painel da Câmara, um colega de Smith disse em uma resposta por e-mail: "O que exatamente devemos fazer em vez de alienar... despejar concreto sobre as areias betuminosas e queimar a escritura da terra para que ninguém possa comprá-los?"

A BP não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Smith, da Shell, disse que a investigação do painel da Câmara falhou em descobrir evidências de uma campanha de desinformação climática.

“Na verdade, o punhado de documentos... que o Comitê escolheu destacar da Shell evidencia extensos esforços da empresa para definir metas agressivas, transformar seu portfólio e participar significativamente da transição energética em andamento”, disse Smith.

A representante Carolyn Maloney, presidente do comitê, disse que os executivos admitiram em depoimento no ano passado ao painel que a produção de petróleo e gás está contribuindo para uma emergência climática, mas que eles têm feito muito pouco para resolver o problema.

"As novas evidências de hoje deixam claro que essas empresas sabem que suas promessas climáticas são inadequadas, mas estão priorizando os lucros recordes das grandes petrolíferas sobre os custos humanos das mudanças climáticas".

(Por Timothy Gardner)