IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Ibovespa cai com risco de juros mais elevado e por mais tempo nos EUA

24/02/2023 18h49

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira, abaixo dos 106 mil pontos, pressionado por receios sobre o ciclo de alta dos juros nos Estados Unidos, enquanto Minerva foi destaque negativo após resultado trimestral aquém das expectativas.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,67%, a 105.798,43 pontos. Na mínima, chegou a 105.359,92 pontos.

Na semana, mais curta em razão do Carnaval, o Ibovespa contabilizou uma perda de 3,1%, afetado particularmente pelo temor de uma taxa terminal mais alta no ciclo de aperto monetário nos EUA e manutenção do juro elevado por mais tempo.

O volume financeiro nesta sexta-feira somava 18,9 bilhões de reais.

Nos EUA, o PCE, medida de inflação do consumo amplamente monitorada pelo Federal Reserve (Fed), aumentou 0,6% em janeiro, após alta de 0,2% em dezembro, mostraram dados nesta sexta-feira. Excluindo alimentos e energia, subiu 0,6%, de avanço de 0,4% um mês antes.

Os números vieram poucos dias após a ata da última decisão de juros do Fed não mostrar consenso na redução do ritmo de alta e apontar que os riscos de uma inflação elevada justificam aumentos contínuos na taxa de juros.

A resiliência da inflação norte-americana combinada com a divergência sinalizada na ata e em discursos recentes de membros do Fed endossaram receios sobre um eventual esforço adicional de política monetária pelo banco central norte-americano.

"Acreditamos que o banco central americano continuará subindo os juros, com pelo menos mais dois aumentos de 25 pontos-base, alcançando a taxa terminal entre 5% e 5,25%, talvez um pouco acima disso", afirmou a equipe do C6 Bank.

"O importante, em nossa visão, é que o Fed deve manter os juros elevados por um período prolongado para consolidar o processo de desinflação. Não esperamos cortes de juros antes de meados de 2024", acrescentou em relatório a clientes.

Para o superintendente da Necton/BTG Pactual, Marco Tulli, esses temores relacionados aos juros nos EUA têm um efeito na bolsa paulista, mas ele também chamou a atenção para componentes domésticos desfavoráveis para o mercado de ações.

Ele elencou entre esses fatores problemas no mercado de crédito em meio à crise da Americanas, os riscos envolvendo a descoberta de um caso do "mal da vaca louca" e o potencial efeito na inflação com uma esperada reoneração dos combustíveis.

Nesta sexta-feira, o IBGE divulgou que o IPCA-15 subiu 0,76% neste mês, após alta de 0,55% em janeiro e um pouco acima de expectativas no mercado.

Em relação à reoneração dos combustíveis, fontes afirmaram à Reuters que o Ministério da Fazenda conta com o retorno integral da tributação previsto para a próxima quarta-feira, mas teme uma guinada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na próxima semana, a temporada de balanços também recupera o fôlego, com a agenda incluindo os números de companhias como GPA, BRF, Gerdau, Petrobras e Ambev, entre outros.

DESTAQUES

- MINERVA ON recuou 2,37%, a 11,52 reais, após reportar na véspera prejuízo líquido de 25,7 milhões de reais no quarto trimestre de 2022, contra lucro de 150,3 milhões em igual período do ano anterior, enquanto agentes financeiros também continuam avaliando os potenciais reflexos do caso atípico de "mal da vaca louca" no Brasil para a maior exportadora de carne bovina na América do Sul. A equipe do Bradesco BBI considerou o resultado da companhia negativo, acrescentando que os preços de exportação do Brasil ficaram aquém das expectativas do mercado.

- ITAÚ UNIBANCO PN caiu 3,06%, a 25,67 reais, também pesando no Ibovespa, enquanto BRADESCO PN perdeu 3,2%, a 13,3 reais.

- VALE ON fechou com declínio de 2,2%, a 85,04 reais, seguindo a queda dos contratos futuros do minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura nesta sexta-feira, com os reguladores chineses tentando moderar a empolgação dos traders com a demanda mais forte pelo ingrediente siderúrgico. No setor de mineração e siderurgia do Ibovespa, CSN ON teve um dos piores desempenhos e recuou 5,22%.

- PETROBRAS PN cedeu 2,18%, a 25,97 reais, após fortes ganhos na véspera, descolada da alta dos preços do petróleo no mercado internacional. Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostraram no final da quinta-feira que a produção de petróleo do Brasil subiu 5,9% em janeiro ante o mês anterior e registrou um recorde de 3,255 milhões de barris por dia.

- AZUL PN subiu 4,96%, a 7,62 reais, em sessão de ajustes, após atingir na véspera mínima histórica de fechamento, a 7,26 em reais, em meio a preocupações envolvendo o processo de renegociação de dívida da companhia. GOL PN, que também está renegociando dívidas, avançou 1,44%, a 5,65 reais, depois de registrar na véspera uma mínima de fechamento desde janeiro de 2017, a 5,57 reais.

- MAGAZINE LUIZA ON ganhou 1,4%, a 3,61 reais, após analistas do Citi elevarem a recomendação das ações da empresa para "compra", com preço-alvo de 5 reais. No mais, de pano de fundo, o rival Mercado Livre divulgou na noite da véspera lucro maior do que o esperado no quarto trimestre, com crescimento de vendas em sua plataforma e maior geração de receita de seu braço financeiro. Magazine Luiza divulga seu resultado no dia 9 de março. Em Nova York, MERCADO LIVRE avançou 1,81%.

(Por Paula Arend Laier)