IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Petrobras vai mudar política de preços e diesel pode cair até R$ 0,25, diz ministro

Ministro Alexandre Silveira (Minas e Energia) - ADRIANO MACHADO/REUTERS
Ministro Alexandre Silveira (Minas e Energia) Imagem: ADRIANO MACHADO/REUTERS

05/04/2023 12h47Atualizada em 05/04/2023 14h20

O ministro Alexandre Silveira, de Minas e Energia, afirmou hoje que a Petrobras tem orientação para alterar sua política de preço. A estatal diz que não recebeu nenhuma proposta do governo.

O que aconteceu:

Silveira criticou a política de preços da Petrobras. Ele disse que uma mudança começará a ser aplicada depois da assembleia geral, marcada para o fim de abril. A declaração foi dada em entrevista à GloboNews.

Ele também previu uma redução no preço do diesel. A medida deve provocar redução entre R$ 0,22 a R$ 0,25 no preço do combustível. Ele não explicou como isso será feito.

Segundo o ministro, o governo Lula vai exigir que a empresa cumpra sua função estatal. Isso significa criar um 'colchão de amortecimento' para os preços de combustíveis.

A Petrobras se manifestou horas depois e disse que não recebeu nenhuma proposta do governo. A empresa reafirmou seu compromisso com a prática de preços competitivos de combustíveis.

Atualmente, a Petrobras segue a paridade de preço de importação (PPI). O preço dos combustíveis é formado considerando indicadores como valores do barril do petróleo internacional, dólar e custos para trazer o produto ao país

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, já afirmou diversas vezes que deixará de seguir o indicador de paridade de importação. Prates foi indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tomou posse da presidência da estatal em janeiro.

A partir da [assembleia geral], o equilíbrio entre o conselho e a diretoria vai visar buscar a implementação dessa nova política de preço.
Alexandre Silveira, à GloboNews

O tal PPI [Preço por Paridade de Importação] é um verdadeiro absurdo. Nós temos que ter o que eu tenho chamado de PCI, Preço de Competitividade Interno.
Alexandre Silveira, à GloboNews

Quaisquer propostas de alteração da Política de Preços recebidas do acionista controlador serão comunicadas oportunamente ao mercado, e conduzidas pelos mecanismos habituais de governança interna da companhia.
Petrobras, por comunicado, após falas do ministro Alexandre Silveira

[Ajustes de preços de produtos] são realizados no curso normal de seus negócios, em razão do contínuo monitoramento dos mercados, o que compreende, dentre outros procedimentos, a análise diária do comportamento de nossos preços relativamente às cotações internacionais.
Petrobras, por comunicado

Volta ao passado

O Brasil não é autossuficiente em derivados de petróleo. Apesar de produzir óleo cru, o país precisa importar o combustível refinado, no caso, diesel e gasolina.

Em governos anteriores do PT, a empresa amargou prejuízos bilionários praticando preços internos inferiores aos internacionais. Em 2016, a empresa passou a seguir o PPI como forma de evitar prejuízos e também abrir espaço para novas empresas atuarem na importação de combustíveis ao país.