IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Yellen diz estar atenta a riscos negativos devido a guerra na Ucrânia e pressões bancárias

11/04/2023 11h16

Por Andrea Shalal

WASHINGTON (Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse que continua atenta aos riscos negativos enfrentados pela economia global, dadas as consequências econômicas da guerra da Rússia contra a Ucrânia e as recentes pressões sobre os sistemas bancários, mas a perspectiva geral é "razoavelmente positiva".

Yellen, falando em uma coletiva de imprensa, rejeitou as advertências do Fundo Monetário Internacional sobre riscos maiores associados a graves tensões financeiras.

"Eu não exageraria no negativismo sobre a economia global", disse Yellen quando questionada sobre uma previsão de crescimento global ligeiramente reduzida do FMI para 2023, que alertou que um surto de turbulência no sistema financeiro pode reduzir a produção para níveis próximos da recessão. "Acho que devemos ser mais positivos."

Yellen disse que não viu evidências sugerindo um aperto no crédito após a falência de dois bancos norte-americanos no mês passado, embora isso seja uma possibilidade. Ela disse que o sistema bancário dos EUA continua sólido, com fortes posições de capital e liquidez, e o sistema financeiro global é resiliente devido às reformas significativas feitas após a crise financeira de 2008.

"A economia dos EUA obviamente está tendo um desempenho excepcionalmente bom com a criação contínua e sólida de empregos, a queda gradual da inflação e gastos robustos do consumidor", disse ela. "Portanto, não estou prevendo uma desaceleração da economia, embora, é claro, isso continue sendo um risco."

Yellen disse a repórteres que a economia global está em um lugar melhor do que o projetado anteriormente, com os preços de energia e alimentos se estabilizando e as pressões da cadeia de suprimentos continuando a diminuir.

Um teto para o preço do petróleo russo está ajudando a estabilizar os mercados globais de energia, ao mesmo tempo que reduz a principal fonte de receita da Rússia, disse ela, acrescentando que o fim da guerra seria a maior ajuda para a economia global

"Ainda assim, continuamos atentos aos riscos negativos", disse ela.

Discursando no início de uma semana de reuniões no Fundo Monetário Internacional e no Banco Mundial, ela disse que o mercado de trabalho dos Estados Unidos está forte, mas que a inflação continua muito alta, embora os preços tenham moderado no último semestre.

No mês passado o governo dos EUA tomou medidas emergenciais para restaurar a confiança do mercado após as quebras do Silicon Valley Bank e do Signature Bank, e anunciou mais medidas para aumentar a supervisão de bancos de médio porte que não exigem aprovação do Congresso.