IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Autoridades do BCE estão convergindo para alta de 0,25 p.p. em maio, dizem fontes

13/04/2023 09h33

Por Balazs Koranyi

WASHINGTON (Reuters) - As autoridades do Banco Central Europeu estão convergindo para um aumento de 25 pontos-base em sua taxa de juros em maio, mesmo que outras opções permaneçam na mesa e o debate ainda não esteja resolvido, de acordo com cinco fontes com conhecimento direto da discussão.

O BCE elevou os juros em pelo menos 50 pontos-base em cada uma de suas últimas seis reuniões, o ritmo mais rápido já registrado, para combater a inflação alta. Mas uma série de fatores agora sustentam uma abordagem mais cautelosa, disseram as fontes, que não quiseram ser identificadas, à Reuters.

A incerteza permanece alta após a volatilidade do setor financeiro no mês passado e os aumentos anteriores de juros ainda não afetaram a economia, portanto, menos agressividade é necessária porque os impactos dos movimentos passados ainda estão se desenvolvendo, disseram as fontes.

As fontes acrescentaram que o pico dos juros já está à vista e que essa "última milha" é mais segura para navegar em altas menores. Outro argumento a favor do gradualismo foi que a taxa de depósito do BCE, agora em 3%, já está em um nível que restringe o crescimento.

As fontes disseram que o debate ainda está em aberto e que as perspectivas podem mudar, especialmente sobre os dados de inflação de abril e a pesquisa trimestral de empréstimos bancários do BCE, ambos previstos para serem divulgados apenas dois dias antes da reunião de 4 de maio.

Um porta-voz do BCE se recusou a comentar.

Algumas das fontes disseram que prefeririam que o BCE não fornecesse nenhuma orientação sobre sua mudança de junho, da mesma forma que está mantendo suas opções abertas agora, para que as autoridades tenham liberdade para agir sobre as novas projeções econômicas previstas para então.

As fontes disseram que alguns estão defendendo manutenção em maio, principalmente as mesmas autoridades do sul da Europa que não apoiaram o aumento de 50 pontos-base do mês passado, enquanto outros, também um pequeno grupo, defendem outro aumento de 50 pontos-base.

Os mercados atualmente precificam aumentos de 25 pontos-base para maio e junho, enquanto um terceiro aumento desse tamanho é totalmente precificado até setembro.

As fontes argumentaram que os aumentos de juros são necessários porque a inflação continua muito alta e o núcleo da inflação, que exclui os preços voláteis de alimentos e energia, pode subir por vários meses, tornando qualquer pausa um sinal errado a ser enviado.

(Por Balazs Koranyi)