IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Nasdaq sobe com investidores comemorando resultados da Microsoft; setor de transportes derruba Dow Jones

26/04/2023 17h17

Por Sinéad Carew e Ankika Biswas e Sruthi Shankar

(Reuters) - O índice de tecnologia Nasdaq fechou em leve alta nesta quarta-feira, depois que fortes resultados da Microsoft Corp impulsionaram o setor de tecnologia, mas o S&P 500 e o Dow Jones caíram em meio a preocupações persistentes com o enfraquecimento da economia dos EUA e do setor bancário.

Os papéis de transporte economicamente sensíveis tiveram seu dia mais fraco em 11 meses, e as ações de bancos caíram quando o banco regional First Republic atingiu uma mínima recorde. Investidores estão nervosos com o setor bancário desde a recente falência de dois bancos norte-americanos.

As ações da Microsoft subiram 7,2% após ganhos e vendas trimestrais otimistas, incluindo produtos robustos de inteligência artificial. Seus resultados impulsionaram as ações de empresas como a rival de computação em nuvem Amazon.com Inc, com alta de 2,3%; a empresa de análise de dados Datadog , que avançou 10,5%; e a gigante da nuvem de dados Snowflake Inc , que subiu 8,5%.

A Alphabet Inc reportou resultados melhores do que o esperado no primeiro trimestre e um plano de recompra de ações de 70 bilhões de dólares, mas suas ações fecharam em queda de 0,1%.

O Dow Jones caiu 0,68%, para 33.301,87. O S&P 500 perdeu 0,38%, a 4.055,99 pontos. O Nasdaq subiu 0,47%, para 11.854,35, segundo a Nasdaq.com.

O setor de tecnologia do S&P 500 foi o único a obter ganhos entre os 11 principais setores industriais do índice, com alta de 1,7%. No pico do dia, subiu 2,8%.

Mas o índice de transportes do Dow Jones caiu 3,6%, seu maior declínio de dois dias desde maio de 2022. O índice foi prejudicado pelo nervosismo com a economia após os dados de bens de capital mais fracos do que o esperado nesta quarta-feira e os fracos resultados da transportadora United Parcel Service na terça-feira.

Os novos pedidos de importantes bens de capital fabricados nos EUA caíram mais do que o esperado em março e as remessas diminuíram, uma indicação de que os gastos das empresas com equipamentos provavelmente continuaram a ser um obstáculo ao crescimento econômico do primeiro trimestre.