IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

FTX busca recuperar mais de US$240 mi de aquisição da Embed

18/05/2023 15h12

Por Dietrich Knauth

NOVA YORK (Reuters) - A falida FTX está tentando recuperar mais de 240 milhões de dólares referentes à aquisição da plataforma de negociação de ações Embed, dizendo que ex-executivos da exchange de criptomoedas não fizeram nenhuma investigação antes de comprar a plataforma de software, que é essencialmente inútil e cheia de bugs.

A FTX apresentou três processos na quarta-feira ao Tribunal de Falências dos Estados Unidos em Delaware visando ex-executivos da exchange, incluindo o fundador indiciado Sam Bankman-Fried, e acionistas e executivos da Embed, incluindo o fundador Michael Giles.

A FTX alegou que Bankman-Fried e outros membros da empresa se apropriaram indevidamente dos fundos da companhia para adquirir participações na Embed como parte da transação.

A companhia concluiu a aquisição da Embed apenas seis semanas antes da bolsa de criptomoedas falir, em novembro, e perdeu bilhões em dinheiro de clientes enquanto sustentava seus próprios investimentos arriscados, ações que seu atual presidente-executivo, John Ray, chamou de "peculato à moda antiga".

Recentemente, a FTX tentou vender a Embed, mas o maior lance foi de Giles, que ofereceu apenas 1 milhão de dólares.

O leilão da FTX "não deixa dúvidas" de que os milhões de dólares gastos para adquirir a Embed foram "descontroladamente inflacionados em relação ao valor justo da empresa, que Giles conhecia muito bem", escreveu a companhia em seu processo.

A FTX pretendia usar o software da Embed para adicionar negociação de ações à sua plataforma de troca de criptomoedas, mas o software da companhia era "essencialmente inútil", disseram os processos.

A empresa não executou quase nenhuma investigação sobre a Embed e "priorizou a velocidade acima de tudo", acrescentaram.

A FTX está tentando recuperar 236,8 milhões de dólares de Giles e dos executivos da Embed e 6,9 milhões de dólares dos acionistas minoritários da Embed.

(Reportagem de Dietrich Knauth)