IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Petrobras prevê R$45 mi para transformar Riograndense em biorrefinaria

29/05/2023 13h13

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras planeja investir cerca de 45 milhões de reais na Refinaria de Petróleo Riograndense (RPR) como parte de um plano que visa a produção de produtos petroquímicos e combustíveis de origem inteiramente renovável na unidade, que fica em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, informou a petroleira em nota nesta segunda-feira.

Um acordo que prevê a realização de testes industriais será celebrado nesta segunda-feira, em Rio Grande, com a presença de executivos da própria RPR e das empresas que têm participação acionária na refinaria - Petrobras, Braskem e Ultra.

O primeiro teste industrial, segundo a petroleira, está previsto para novembro e deve durar até cinco dias. O segundo, será realizado em junho de 2024. Uma vez comprovado o êxito, já está negociado o contrato de licenciamento da tecnologia da Petrobras.

No primeiro teste, o objetivo será preparar a unidade de FCC (craqueamento catalítico fluido) da refinaria com inovações de processo e sistema catalítico, gerando insumos integralmente renováveis, a partir de uma tecnologia desenvolvida pelo Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Cenpes) da Petrobras.

O teste posterior, segundo a companhia, será por meio do coprocessamento de carga fóssil com bio-óleo, gerando propeno, gasolina e diesel, todos com conteúdo renovável a partir de matéria-prima avançada de biomassa não alimentar.

Caso os testes tenham êxito, a refinaria estará preparada para produzir, principalmente, bioaromáticos para a indústria petroquímica, tornando-se um marco no desenvolvimento do biorrefino no Brasil.

"Com o sucesso da iniciativa, a RPR será a primeira refinaria na América Latina a ser convertida para operar como uma biorrefinaria e processar insumos de origem 100% renovável", disse a Petrobras.

Atualmente, a Riograndense tem como principal atividade a produção e comercialização de derivados de petróleo, especialmente gasolina, óleo diesel, nafta petroquímica, óleo combustível, GLP (gás de cozinha), além de outros derivados, disse a Petrobras. Seu mercado de atuação está concentrado no Sul do Brasil. A refinaria tem capacidade de processamento instalada de 17 mil/barris dia.

(Por Marta Nogueira)