IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Normalização de política monetária do Japão pode pressionar mercados globais de títulos, diz BCE

31/05/2023 11h10

FRANKFURT (Reuters) - A normalização da política monetária pelo Banco do Japão (BOJ) pode testar a resiliência dos mercados de títulos globais, alertou o Banco Central Europeu nesta quarta-feira em uma mensagem extraordinariamente forte sobre as perspectivas de política monetária em outra jurisdição.

O presidente Kazuo Ueda já disse que o banco central é inabalável em sua postura de manter a política monetária super flexível mesmo enquanto seus pares globais combatem a inflação alta com juros altos.

Mas com a inflação excedendo a meta de 2%, os mercados estão repletos de especulações de que o BOJ em breve encerrará seu enorme programa de estímulo que foi criticado por distorcer a função do mercado e desencadear uma queda indesejável do iene que aumenta o custo das importações de matérias-primas.

"Uma mudança do ambiente de taxas de juros baixas no Japão pode testar a resiliência dos mercados globais de títulos", disse o BCE em sua revisão trimestral de estabilidade financeira, argumentando que taxas domésticas mais altas podem levar a uma repatriação de grandes somas mantidas por investidores japoneses em outro continente.

"A inflação no Japão aumentou no ano passado, levando os participantes do mercado a esperar que o Banco do Japão comece a normalizar sua política monetária", acrescentou o BCE.

Se o Japão normalizar a política, poderá redirecionar os investimentos de investidores japoneses que têm uma grande presença nos mercados financeiros globais, alertou o BCE.

"Um rápido declínio nos diferenciais de taxa e aumento da volatilidade da taxa de câmbio podem reduzir a atratividade de suas operações de carry trade", disse o BCE.

A normalização da política também pode levar a prêmios maiores nos títulos do governo local, o que também pode estimular a repatriação de investimentos em carteira, acrescentou o BCE.

Tal retirada dos investimentos japoneses poderá ter um efeito material nos mercados de títulos em outros lugares, particularmente para instrumentos mais concentrados, disse o BCE, acrescentando que esse processo pode ser amplificado pelo aumento da oferta líquida de títulos resultante do aperto quantitativo na zona do euro.

(Por Balazs Koranyi; reportagem adicional de Leika Kihara)