Conteúdo publicado há 9 meses

Precatórios acumulados para pagamento em 2027 caíram de R$30 bi para R$7 bi, diz Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta sexta-feira que o Tesouro Nacional revisou para baixo a estimativa do volume acumulado de precatórios a serem pagos pelo governo em 2027, quando deixa de valer a limitação para esse tipo de despesa pública.

"Esperava-se algo de 20 bilhões a 30 bilhões de reais de estoque acumulado até 2027. A nossa estimativa é que isso deve cair para menos de 10 bilhões de reais, algo em torno de 7 bilhões de reais", afirmou em entrevista a jornalistas em São Paulo.

O governo Jair Bolsonaro aprovou uma emenda constitucional que limitou o pagamento dessas sentenças judiciais pelo governo até 2026, com o fluxo voltando ao normal em 2027.

Segundo Haddad, com a revisão dos números, haverá uma boa solução para o tema, com essa "bomba", como ele chamou, não sendo deixada para o próximo governo.

"Isso faz crer que houve uma espécie de bolha de condenações em virtude de decisões da Justiça, mas tudo concorre para que o patamar de precatórios volte para uma trajetória razoavelmente administrável", disse.

Deixe seu comentário

Só para assinantes