Presidente do Citi realiza mudanças radicais na administração e faz cortes de pessoal

Por Tatiana Bautzer e Saeed Azhar

NOVA YORK (Reuters) - A presidente do Citigroup, Jane Fraser, anunciou nesta quarta-feira uma grande reorganização administrativa que resultará em mais cortes de pessoal e dará a ela uma supervisão mais direta sobre os negócios do banco.

Os chefes das cinco unidades do Citi agora se reportarão diretamente a Fraser: Shahmir Khaliq, que comanda a unidade de serviços; Andrew Morton, em mercados; Peter Babej, interino em banco corporativo e de investimentos; Gonzalo Luchetti, no banco de varejo dos Estados Unidos; e Andy Sieg, que ficará encarregado da área de gestão de patrimônio, quando ingressar na instituição no final deste mês.

"Estamos tomando decisões ousadas para cumprir nossos compromissos com os acionistas", disse Fraser, 56 anos, em comunicado. As recentes mudanças já eliminaram 35 comitês, acrescentou ela, como um exemplo de esforços para reduzir a burocracia.

"Tomamos decisões duras, consequentes e difíceis aqui", disse Fraser a investidores. "Elas não serão universalmente populares em nosso banco. Alguns de nossos funcionários ficarão muito desconfortáveis. Estou absolutamente tranquila com isso... É absolutamente a coisa certa a fazer por nossos acionistas."

A expectativa é que haja cortes de pessoal, mas o banco não estimou o número de cargos a serem eliminados ou o impacto financeiro, disseram fontes familiarizadas com o assunto. Espera-se que os custos de indenização sejam incorridos no quarto trimestre.

A reorganização é mais um passo na estratégia de Fraser, que assumiu o comando do banco em 2021, para elevar os lucros e simplificar a estrutura da instituição. Embora o Citi tenha vendido empresas e esteja trabalhando para resolver problemas regulatórios, o preço das ações têm ficado para trás frente aos concorrentes.

Nesta quarta-feira, por volta de 13h15, as ações do banco subiam 1,7%.

"O Citi eliminará as camadas não produtivas da administração e se reorganizará com uma estrutura mais plana, o que certamente gerará economias no balanço patrimonial", disse Brian Mulberry, gerente de portfólio de clientes da Zacks Investment Management, que detém ações do Citi.

Continua após a publicidade

O Citi está enxugando as antigas divisões de Institutional Clients Group e Personal Banking e Wealth Management. As funções de liderança internacional fora da América do Norte serão consolidadas sob o comando do novo diretor internacional, Ernesto Cantu.

Os novos chefes de divisão tomarão decisões sobre o segundo e o terceiro níveis de gerência, que deverão ser anunciadas em novembro e janeiro, acrescentaram as fontes.

(Reportagem de Tatiana Bautzer e Saeed Azhar; reportagem adicional de Medha Singh e Chibuike Oguh)

Deixe seu comentário

Só para assinantes