Porto de Santos não será privatizado, mas pode ter PPPs, diz ministro

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, afirmou nesta segunda-feira que o porto de Santos não será privatizado, mas ponderou que há espaço para parcerias com o setor privado.

"Nós não vamos privatizar o porto de Santos, como também nós vamos ampliar o diálogo com todo o setor produtivo de São Paulo", disse o ministro em entrevista à CNN Brasil.

"Mesmo o porto público tem muita PPP que pode ser feita dentro do porto. É nesse sentido que a gente quer trabalhar. O porto não precisa ser privatizado para a gente poder ter privatizações", acrescentou, garantindo que envolverá lideranças políticas -- incluindo o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, correligionário do ministro -- em toda a negociação envolvendo investimentos da pasta no Estado.

Na semana passada, Costa Filho afirmou que o porto conta com quase 3 bilhões de reais em caixa e que vai liderar a maior obra do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a construção do túnel Santos-Guarujá.

Lançado em agosto pelo governo federal com previsão de 1,7 trilhão de reais de investimentos, o Novo PAC terá o investimento privado como carro-chefe.

GOVERNABILIDADE

Costa Filho assumiu o Ministério dos Portos e Aeroportos na semana passada em meio a um rearranjo ministerial promovido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para acomodar aliados e ampliar sua base de sustentação no Congresso.

Ainda que seu partido, assim como o PP, também contemplado pela minirreforma ministerial, não tenha formalmente embarcado na base do governo, Costa Filho garante que a legenda não só já entregou votos favoráveis ao governo em um patamar acima de 80% da bancada, como continuará aprovando matérias de interesse do Executivo.

Deixe seu comentário

Só para assinantes