Dólar tem leve queda frente ao real após dados dos EUA e com expectativa por Fed e Copom

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar passou a cair frente ao real nesta quarta-feira em reação a dados de emprego dos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que investidores trabalhavam em modo de espera antes da decisão de política monetária do Federal Reserve e, após o fechamento do mercado, do comunicado do Banco Central do Brasil.

Às 10:18 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,25%, a 5,0278 reais na venda.

Na B3, às 10:18 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,19%, a 5,0455 reais.

O movimento estava em linha com as leves perdas do dólar frente a divisas arriscadas no exterior, "reflexo da divulgação da ADP nos Estados Unidos, que veio abaixo das previsões", disse Jefferson Rugik, presidente-executivo da Correparti Corretora.

O Relatório Nacional de Emprego da ADP mostrou nesta quarta-feira que o setor privado dos Estados Unidos criou 113 mil postos de trabalho em outubro, abaixo da expectativa de 150 mil.

A leitura vem horas antes da conclusão da reunião de política monetária do Fed, às 15h (de Brasília). Com ampla expectativa de que o Fed deixe os custos dos empréstimos inalterados, o foco ficará nas sinalizações das autoridades em relação aos próximos passos.

"Os riscos existem e, portanto, o Fed deve aguardar maiores reações da atividade para definir os próximos passos, não indicando uma faixa terminal do ciclo, mas com um aviso duro de que 'aperto adicional está condicionado ao cenário econômico'", disse Jadye Lima, economista na WIT Invest.

Já no Brasil, o Copom provavelmente cortará os juros básicos em meio ponto percentual após o fechamento dos mercados, mantendo um ritmo cauteloso de afrouxamento monetário diante do agravamento de riscos externos, previram economistas consultados pela Reuters.

Continua após a publicidade

"Uma taxa elevada por mais tempo nos EUA tende a limitar os esforços do Copom de reduzir a Selic por aqui", avaliou Lima, que também prevê corte de 0,50 ponto nesta sessão e repetição desse movimento em dezembro. "Isso porque, ao reduzir os juros (no Brasil) e consequentemente diminuir o diferencial, o fluxo estrangeiro buscará prêmios de risco maiores em outros lugares, impactando no câmbio, o que por sua vez impactará na inflação."

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 5,0405 reais na venda, em baixa de 0,15%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes