Fábricas britânicas tiveram dificuldades em outubro, mostra PMI

LONDRES (Reuters) - As fábricas britânicas tiveram um outubro pior do que se imaginava, de acordo com uma pesquisa publicada um dia antes de o Banco da Inglaterra provavelmente reafirmar sua intenção de manter as taxas de juros elevadas, apesar dos sinais generalizados de desaceleração econômica.

A leitura final do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da S&P Global/CIPS ficou em 44,8, abaixo da estimativa inicial de 45,2.

Embora o índice de atividade principal tenha aumentado em relação aos 44,3 registrados em setembro, o componente de produção contraiu pelo oitavo mês consecutivo, o que representa o período mais longo desde a crise financeira global de 2008-09.

"As condições difíceis e incertas do mercado levaram a um aumento da cautela tanto entre os fabricantes quanto entre seus clientes", disse a S&P Global, responsável pela compilação da pesquisa.

Os clientes no país e no exterior reduziram os pedidos, os fabricantes dispensaram funcionários e uma medida de otimismo no setor caiu para o seu ponto mais baixo este ano.

Em um sinal positivo para o BoE, os preços pagos pelas fábricas caíram pelo sexto mês consecutivo e os preços de venda também diminuíram, sugerindo um enfraquecimento adicional de parte da pressão inflacionária na economia britânica.

Espera-se que o BoE mantenha a taxa de juros do banco em 5,25% na quinta-feira -- sua segunda decisão sem alterações depois de 14 aumentos consecutivos -- enquanto procura combater os perigos para a economia de uma taxa de inflação que permanece mais de três vezes acima de sua meta de 2%.

(Reportagem de William Schomberg)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes