Ibovespa vai à máxima em 6 semanas com apostas de fim de ciclo de juros nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa disparou quase 3% nesta sexta-feira, no retorno de feriado, após dados de emprego nos Estados Unidos reforçarem apostas de que o ciclo de elevação de juros pelo Federal Reserve (Fed) se encerrou.

Vale e grandes bancos foram as principais influências positivas ao Ibovespa, enquanto Suzano esteve na ponta oposta.

Principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa subiu 2,70%, a 118.159,97 pontos, no maior patamar de fechamento desde 20 de setembro. Foi também a maior alta percentual em uma sessão desde 5 de maio. O volume financeiro do pregão somou 26,1 bilhões de reais, contra média diária no ano -- até 1° de novembro -- de quase 25 bilhões de reais.

Na semana, o Ibovespa acumulou ganhos de 4,29%, o melhor desempenho semanal desde meados de abril.

A criação de empregos fora do setor agrícola nos EUA totalizou 150.000 vagas em outubro, divulgou o Departamento de Trabalho pela manhã, abaixo da expectativa de economistas em pesquisa da Reuters de 180.000 vagas. Ainda houve uma revisão para baixo do dado anterior. Além disso, a taxa de desemprego veio um pouco maior que a esperada, e os ganhos médios por hora desaceleraram frente a setembro.

"Na quarta-feira, o Jerome Powell (presidente do Fed) mostrou preocupação com a inflação, mas via o mercado econômico desacelerando. Isso foi confirmado hoje. Criação de vagas menor que a esperada, rendimento por hora abaixo do esperado, e taxa de desemprego acima. Pacote completo", disse Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos.

Jonas Carvalho, sócio fundador da Hike Capital, afirmou que "com o payroll abaixo do esperado, conseguimos vislumbrar um fim na subida de juros e, consequentemente, até uma queda no ano que vem".

Em Wall Street, os rendimentos dos Treasuries caíram e os principais índices acionários subiram. O S&P 500 avançou 0,94%.

Na véspera, enquanto os mercados locais estavam fechados para feriado do Dia de Finados, os principais índices em Wall Street subiram mais de 1%, refletindo apetite por risco após decisão de juros do Fed na quarta-feira. Certo ajuste a esse movimento também ajudou a bolsa brasileira nesta sessão, disseram analistas.

Continua após a publicidade

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu, também na quarta-feira, mas já após o fechamento, cortar a taxa básica Selic em 0,5 ponto percentual, para 12,25% ao ano, e afirmou que prevê reduções no mesmo ritmo nas próximas reuniões, apesar de ter citado um ambiente internacional adverso.

Carvalho, da Hike Capital, afirmou que os ativos brasileiros se beneficiam da perspectiva de redução de diferencial de juros em relação aos EUA, com o Copom reduzindo juros e apostas de fim de ciclo de alta na taxa dos EUA.

Os dados desta sexta-feira, segundo ele, "solidificam a decisão de Copom de continuar baixando os juros."

DESTAQUES

- VALE ON subiu 1,25%, a 71,2 reais, diante de nova sessão positiva para os futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian, na China. O contrato da commodity para janeiro encerrou a sessão do dia com alta de 0,43%, a 924,5 iuanes (126,38 dólares) a tonelada. Na véspera, o minério de ferro avançou 1,6% em Dalian.

- PETROBRAS PN ganhou 1,2%, a 35,54 reais. O petróleo Brent caiu 2,3% nesta sexta-feira, influenciado por menores preocupações com a oferta em meio a conflitos no Oriente Médio, e perspectiva de fim de ciclo de juros nos EUA. Na véspera, a commodity disparou quase 3%. Além disso, o Citi elevou o preço-alvo dos ADRs da petrolífera de 14 para 15 dólares.

Continua após a publicidade

- CASAS BAHIA ON saltou 17,39%, a 0,54 real, a maior alta percentual do Ibovespa na sessão, diante de alívio nos juros futuros. MAGAZINE LUIZA ON disparou 12,03% e GPA ON ganhou 9,55%.

- ITAÚ UNIBANCO PN exibiu alta de 2,76%, para 27,93 reais, enquanto BRADESCO PN saltou 4,72%, a 14,77 reais, com as ações de bancos acompanhando clima positivo na bolsa.

- AMERICANAS ON, que não está no Ibovespa, avançou 2,41%, a 0,85 real, após a varejista entrar em período de exclusividade com um dos interessados que fez oferta não vinculante de compra do Natural da Terra. A empresa não identificou a oferta. O jornal Valor Econômico afirmou que a proponente se trata da rede de supermercados St Marche.

- SUZANO ON caiu 0,56%, a 51,16 reais, em meio à queda firme do dólar ante o real, o que impacta negativamente papéis de empresas exportadoras. A ação foi a única a fechar no negativo dentre os papéis do Ibovespa.

- CVC BRASIL ON subiu 8,7%, a 3,25 reais, ajudada pelo clima positivo na bolsa, e antes de divulgar prejuízo líquido de 87,5 milhões de reais no terceiro trimestre, conforme balanço publicado após o fechamento do mercado. EMBRAER ON e BB SEGURIDADE ON, que divulgam resultados na segunda-feira cedo, avançaram 3,96% e 0,77%, respectivamente.

(Por André Romani)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes