Vibra quer voltar a crescer em volume de vendas gradualmente, diz CEO

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vibra Energia tem como objetivo voltar a crescer em volume de vendas de combustíveis gradualmente, com importante foco voltado para clientes diretos e postos com a bandeira Petrobras, afirmou nesta terça-feira o CEO Ernesto Pousada, em conferência com investidores.

Maior distribuidora de combustíveis do país, a Vibra apontou um recuo de 8,7% no volume de vendas no terceiro trimestre ante igual período do ano passado, para 9,4 bilhões de litros, com destaque para as menores vendas de diesel (-9,2%) e gasolina (-10,3%), segundo balanço publicado na véspera.

Segundo a companhia, a redução de volumes é resultado de uma estratégia da companhia que visa segmentação de mercado e que, ao longo do tempo, deverá ser normalizada em patamares superiores aos atuais, recuperando a participação de mercado usual da Vibra.

"Com respeito a volume, o que vocês podem esperar da companhia é maximização do nosso resultado, nós não vamos ter foco único em 'market share'", disse Pousada, ao comentar os resultados trimestrais com analistas de mercado.

"Nosso objetivo é voltar a crescer em volume gradualmente, pode acontecer no quarto trimestre, pode acontecer no ano que vem, a gente buscará esse crescimento principalmente com nossos parceiros."

Pousada pontuou que a companhia atenderá todo o mercado, mas que "obviamente" terá mais atuação com os clientes com quem tem relação de mais longo prazo.

Sobre embandeiramento, o executivo destacou que a companhia privatizada após a Petrobras alienar suas ações já avançou muito nos últimos anos e que o momento agora é de crescer "um pouco mais seletivo", com mais foco em microrregiões.

"Vamos aumentar cada vez mais a parceria e a competitividade dos nossos postos, porque nós queremos vender mais volume através dos nossos postos embandeirados, vamos cada vez mais colocar mix de produtos melhor para eles, dar competitividade, fazer com que esse parceiro nosso cresça, venda mais volumes e vamos ter mais sucesso em conjunto", frisou.

Continua após a publicidade

Sobre importações, o CEO afirmou que a empresa seguirá importando conforme o necessário para atender os seus clientes e que a companhia está mantendo estoques regulares.

"O que nós estamos vendo é que provavelmente nós vamos ter um ambiente um pouco diferente, principalmente na segunda quinzena de novembro e em dezembro, vamos ver uma chegada um pouco maior de importados no mercado", disse Pousada, sem entrar em detalhes sobre volumes.

Pousada destacou ainda durante a conferência que a companhia buscará atuar com governo e Instituto Combustível Legal (ICL) em busca de combater irregularidades no setor de combustíveis, como adulteração de produtos e sonegação. "Vamos ser incansáveis", adicionou.

A Vibra registrou lucro líquido de 1,26 bilhão de reais no terceiro trimestre, revertendo prejuízo de 61 milhões de reais no mesmo período do ano anterior, segundo a companhia, citando melhores resultados operacional, financeiro e a venda da ESgás.

(Por Marta Nogueira)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes