Ibovespa pausa série de altas em dia de ajustes e cheio de balanços

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa encostou em 120 mil pontos, mas perdeu o fôlego e fechou com uma queda discreta nesta quarta-feira, em dia marcado por movimentos de realização de lucros e forte queda das ações da Petrobras, com agentes financeiros também analisando uma série de balanços corporativos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,08%, a 119.176,67 pontos. Na máxima do dia, chegou a 119.975,84 pontos. Na mínima, a 118.463,87 pontos. O volume financeiro somou 23,6 bilhões de reais.

"O movimento hoje parece ter sido mais técnico, com grande influência dos resultados do terceiro trimestre e desvalorização do petróleo no mercado internacional, que pressionou empresas do setor na bolsa brasileira", avaliou o analista Luis Novaes, da Terra Investimentos.

Ele acrescentou, porém, que a perspectiva para os juros está mais positiva em relação há algumas semanas, com a expectativa de manutenção do ciclo de baixa da Selic pelo Banco Central e aperto monetário nos Estados Unidos demonstrando efetividade após dados fracos sobre a economia norte-americana.

O Ibovespa vinha de cinco sessões consecutivas de alta, chegando a acumular um ganho de 6% no período, que aumenta para 6,6% se considerada a máxima apurada mais cedo nesta sessão.

Números da B3 também têm mostrado entrada de capital externo no mercado secundário de ações neste começo de mês, com o saldo positivo em 2,4 bilhões de reais nas primeiras três sessões. Em outubro, as vendas por estrangeiros superarem as compras em quase 2,9 bilhões de reais.

Da temporada de balanços, Dexco e Arezzo figuraram na ponta negativa, enquanto Totvs e BTG Pactual apareceram na coluna positiva após os respectivos resultados.

Ainda nesta quarta-feira, uma série de empresas divulga seus desempenhos no terceiro trimestre, incluindo Alpargatas, Banco do Brasil, Braskem, Casas Bahia, Cogna, Hapvida, Minerva e MRV&Co.

Continua após a publicidade

Em Wall Street, a sessão também terminou com variações modestas após rali recente, com investidores avaliando comentários recentes de autoridades do Federal Reserve em busca de sinais sobre a trajetória da taxa de juros norte-americana e concentrando-se nos movimentos dos rendimentos dos Treasuries.

No relatório Diário do Grafista, analistas do Itaú afirmaram que o Ibovespa conseguiu sair da tendência de baixa, mas ponderaram que o desafio é conseguir superar a região dos 119.800 pontos e "criar um ambiente propício para um possível rali, com o índice buscando a máxima do ano".

DESTAQUES

- PETROBRAS PN recuou 2,15%, a 34,17 reais, em dia de queda dos preços do petróleo no exterior, com o barril de Brent terminando em baixa de 2,54%. Investidores seguem na expectativa do desfecho de assembleia de acionistas convocada para o final do mês para decidir sobre mudanças no estatuto da companhia, bem como de esperadas mudanças no plano estratégico da estatal. A Petrobras divulgará também nesta semana seu resultado do terceiro trimestre.

- ULTRAPAR ON disparou 7,27%, a 23,60 reais, ganhando fôlego no final do pregão e terminando na máxima do dia. A companhia divulgou ainda nos ajustes finais do pregão resultado do terceiro trimestre com lucro líquido de 891 milhões de reais e receita líquida de 32 bilhões de reais. O Ebitda ajustado somou 2 bilhões de reais.

- TOTVS ON subiu 5,65%, a 30,31 reais, após a empresa de softwares registrar um lucro líquido aos controladores de 427,7 milhões de reais no terceiro trimestre, avanço de 187,4% frente ao mesmo período de 2022. O chamado lucro caixa, que exclui efeitos de despesas com amortização de intangíveis oriundos de aquisições e engloba ajustes ligados à participação na unidade Techfin, avançou 28,9%, para 214,8 milhões de reais. A receita líquida consolidada, ajustada por efeitos na Techfin, cresceu 18,9%.

Continua após a publicidade

- DEXCO ON caiu 12,19%, a 6,63 reais, após a companhia reportar lucro líquido recorrente de 94,8 milhões de reais no terceiro trimestre, uma queda de 41,8% frente ao mesmo período de 2022. O Ebitda ajustado recorrente encolheu 30,7%, com queda em margem, enquanto a receita líquida consolidada caiu 18,2%, com declínio no volume expedido em Deca, Revestimentos Cerâmicos e Painéis.

- MAGAZINE LUIZA ON subiu 0,56%, a 1,78 real, em dia volátil, tendo oscilado entre a mínima de 1,72 real e a máxima de 2,02 reais, ampliando o rali recente. No setor, CASAS BAHIA ON fechou estável, a 0,57 real, tendo também no radar anúncio de estruturação de um FIDC, que está fase pré-operacional e buscará uma captação inicial de 600 milhões de reais, mas pode chegar a 1,5 bilhão de reais.

- TIM ON avançou 4,04%, a 17,24 reais, tendo de pano de fundo relatório do Bank of America reiterando recomendação de "compra" para as ações e elevando o preço-alvo a 21 reais, conforme os analistas veem um "momentum" positivo na telefonia móvel no Brasil e perspectiva sólida para a geração de fluxo de caixa. TELEFÔNICA BRASIL ON subiu 3,18% após o conselho de administração aprovar proposta para redução de capital de 1,5 bilhão de reais com restituição do valor aos acionistas.

- AREZZO ON cedeu 4,70%, a 59,63 reais, tendo de pano de fundo o desempenho da companhia no terceiro trimestre com lucro líquido recorrente de 107,176 milhões de reais, alta de 4,2% ano a ano, enquanto o Ebitda recorrente somou 217,531 milhões de reais, aumento de 27,9% na comparação anual, com expansão de margem. A receita líquida teve elevação de 11,2%.

- BTG PACTUAL UNIT valorizou-se 2,37%, a 33,63 reais, após reportar alta de 19% no lucro líquido ajustado do terceiro trimestre, com o crescimento de receitas para 5,7 bilhões de reais superando as previsões de analistas, enquanto o retorno ajustado sobre o patrimônio líquido (ROAE) foi de 23,2% no terceiro trimestre, maior nível desde 2015. O total de recursos de terceiros atingiu 1,5 trilhão de reais no terceiro trimestre.

- VALE ON encerrou com variação positiva de 0,07%, a 70,13 reais, em dia de recuperação dos futuros do minério de ferro nesta quarta-feira, com o contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange (DCE) encerrou o dia com alta de 1,03%, a 935 iuanes (128,46 dólares) a tonelada. Próximo do fechamento, a companhia informou que um incêndio nesta quarta-feira em um trem paralisou o transporte de cargas e passageiros na Estrada de Ferro Carajás (EFC) e que espera retomar as atividades nos próximos dias.

Continua após a publicidade

- ALPER ON, que não faz parte do Ibovespa, saltou 9,32%, a 39,90 reais, após a WP Itacaré, ligada à norte-americana Warburg Pincus, manifestar intenção de realizar uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) visando o controle da companhia de seguros ao preço de 43,50 reais por papel. Na máxima, mais cedo, as ações chegaram a 41 reais.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes