Bradesco lucra R$4,62 bi no 3° tri, queda de 11,5% ano a ano

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O Bradesco registrou lucro líquido recorrente de 4,62 bilhões de reais no terceiro trimestre, queda de 11,5% frente ao mesmo período do ano anterior, com uma carteira de crédito estável e menor margem financeira, mas crescimento na receita de serviços e no resultado do negócio de seguros, conforme balanço divulgado nesta quinta-feira.

Analistas, em média, estimavam lucro de 4,68 bilhões de reais, com base em dados da LSEG.

O lucro líquido contábil do banco também foi de 4,62 bilhões de reais, mas com recuo de 11,3% ano a ano.

O Bradesco divulgou retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio, um indicador de rentabilidade, de 11,3% no trimestre, ante 11,1% no segundo trimestre e 13% no período de julho a setembro de 2022.

A carteira de crédito expandida alcançou 877,5 bilhões de reais, praticamente estável no comparativo anual, com alta de 2,3% no segmento pessoas físicas, mas queda de 1,8% para empresas.

A inadimplência acima de 90 dias subiu a 6,1%, contra patamar de 5,9% no trimestre imediatamente anterior e de 3,9% um ano antes.

O Bradesco afirmou, em relatório de resultados, que os créditos mais novos vêm apresentando melhor desempenho. "Com isso, elevamos os níveis de produção e a capacidade de geração de receitas com uma melhor inadimplência de curto prazo pelo segundo trimestre consecutivo, bem como a inadimplência das novas safras orbitando nos menores níveis históricos", disse o banco.

A inadimplência entre 15 e 90 dias foi de 4,1%, queda frente ao patamar de 4,4% registrado no segundo trimestre, mas ainda maior que o nível de um ano antes, de 3,6%.

Continua após a publicidade

A margem financeira total do Bradesco foi de 15,86 bilhões de reais no terceiro trimestre, redução de 2,6% na base anual, com contração de 9,6% na margem com clientes.

"O desempenho da margem com clientes reflete os atuais níveis de produção com uma dinâmica de crédito mais restritiva", disse o Bradesco, que foi o último dos grandes bancos de varejo do país a divulgar os resultados do terceiro trimestre.

Entre outros negócios, a receita do Bradesco com prestação de serviços cresceu 2,9% na comparação ano a ano, para 9,11 bilhões de reais, enquanto o resultado de seguros, previdência e capitalização saltou 33,3%, para 4,62 bilhões de reais.

A provisão para devedores duvidosos expandida do banco fechou o trimestre em 9,19 bilhões de reais, recuo de 10,9% na base trimestral, mas avanço de 26,4% ano a ano.

"A melhora no perfil da carteira do massificado contribuiu de forma significativa com essa redução", disse o Bradesco, citando o comparativo com o segundo trimestre.

Nas despesas operacionais, o banco registrou elevação de 8,1% frente ao mesmo período do ano anterior, para 13,43 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

O Bradesco ainda manteve suas projeções para 2023.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes