Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem na última semana em mercado de trabalho ainda forte

(Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu na semana passada, em meio a um mercado de trabalho que continua a mostrar poucos sinais de desaceleração significativa.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 3.000 na semana encerrada em 4 de novembro, para 217.000 em dado ajustado sazonalmente, de 220.000 na semana anterior, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 218.000 pedidos para a última semana.

Dados da semana passada mostraram que o mercado de trabalho está esfriando, com o ritmo de contratações diminuindo e o desemprego aumentando, embora o desemprego - de 3,9% em outubro - continue historicamente baixo.

Um relatório separado mostrou que havia 1,5 vaga de emprego para cada pessoa desempregada em setembro, abaixo das cerca de 2 para 1 quando o mercado de trabalho estava mais apertado no ano passado.

O banco central dos EUA manteve a taxa de juros na semana passada, mas deixou a porta aberta para um novo aumento nos custos de empréstimos, em um sinal de reconhecimento da resiliência da economia. Desde março de 2022, o Fed aumentou sua taxa de juros em 525 pontos-base, para a faixa atual de 5,25% a 5,50%.

(Reportagem de Dan Burns)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes