Conteúdo publicado há 3 meses

Americanas adia mais uma vez publicação de balanços

A Americanas anunciou nesta segunda-feira mais um adiamento na publicação de seus resultados financeiros de 2021 e 2022, citando a "tarefa extremamente desafiadora e complexa" de elaboração dos balanços, segundo fato relevante publicado pela companhia responsável por um dos maiores pedidos de recuperação judicial da história do país.

As publicações estavam previstas para esta segunda-feira, mas a empresa afirmou necessidade de novo adiamento, agora para "até 16 de novembro", antes da abertura do mercado.

Os maiores bancos do país estão aguardando há meses a publicação dos balanços auditados da Americanas para avançarem no processo de discussão de um acordo para a dívida bilionária da varejista e eventual aprovação do plano de recuperação judicial.

Na semana passada, executivo do Banco do Brasil, que tem uma exposição de cerca de 1,7 bilhão de reais à empresa, afirmou que é possível que toda a aprovação ocorra apenas em 2024 diante da proximidade do recesso judicial de fim de ano.

Por sua vez, o presidente-executivo do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, afirmou na sexta-feira que espera a assinatura de um acordo com a Americanas "ainda este ano" e que as discussões com a empresa nos últimos 40 a 50 dias "caminharam muito bem".

Nesta segunda-feira, a Americanas afirmou que o trabalho de elaboração das demonstrações financeiras "já está finalizado" e que os procedimentos de auditoria foram "substancialmente concluídos", mas que ainda não foi possível "cumprir todo o rito interno de aprovação previsto na governança da companhia".

Na semana passada, a B3 decidiu suspender a Americanas do segmento Novo Mercado, na primeira vez que uma empresa foi suspensa do segmento de mais alto grau de governança da bolsa brasileira.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes