Minério de ferro sobe com estímulo ao setor imobiliário da China e redução das importações

CINGAPURA (Reuters) - Os contratos futuros de minério de ferro avançaram nesta terça-feira, com os agentes do mercado avaliando o estímulo relacionado ao setor imobiliário na China, principal setor consumidor de minério, e a queda nos embarques em relação à demanda mais fraca por aço.

O minério de ferro mais negociado para janeiro na Bolsa de Mercadorias de Dalian subiu 0,3%, a 965,5 iuanes (132,39 dólares) por tonelada no fechamento.

"Os futuros do minério de ferro estão se agarrando às altas recentes, apoiados pelas expectativas de uma recuperação intangível impulsionada por estímulos na atividade de construção e manufatura e um declínio muito mais tangível nos embarques australianos e brasileiros na semana passada", disse Atilla Widnell, diretor administrativo da Navigate Commodities.

Na Bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência para dezembro caiu 0,8%, a 127,1 dólares a tonelada.

A China implementará com firmeza as promessas de política ao mercado imobiliário para atender às demandas habitacionais da população e promover o desenvolvimento de alta qualidade do setor, disse Ni Hong, ministro da Habitação e Desenvolvimento Urbano-Rural.

Os novos empréstimos bancários na China caíram menos do que o esperado em outubro em relação ao mês anterior, mesmo depois que os formuladores de políticas aumentaram as medidas, incluindo o corte dos índices de reservas obrigatórias dos bancos, para colocar a economia instável de volta em bases mais sólidas.

"A demanda por aço nas regiões do norte enfraqueceu sazonalmente em meio a quedas bruscas de temperatura em muitas regiões da China, que entrou no inverno", disseram analistas da Galaxy Futures em uma nota.

Os analistas alertaram sobre uma possível desaceleração da demanda de aço após o anúncio da China de restringir os volumes de negociação dos contratos futuros de minério de ferro.

(Reportagem de Ashley Fang)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes