Argentina prorroga benefício para exportação até mudança na Presidência

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina prorrogou na segunda-feira até 10 de dezembro um benefício para todo o complexo exportador de uma taxa de câmbio preferencial para liquidar parte das divisas obtidas com suas vendas, a fim de incentivar os negócios e aumentar as reservas do país.

O decreto, publicado no Diário Oficial, afirma que "a validade das disposições é estendida até 10 de dezembro de 2023, inclusive".

"Será Prorrogado, até 10 de dezembro de 2023, inclusive, a vigência das disposições", apontou um decreto publicado no diário oficial do país.

"Deverá ingressar no país em divisas e/ou serem negociados 50% por meio do Mercado Livre de Câmbio, e o exportador deve, para os 50% restantes, realizar operações de compra e venda com títulos negociáveis adquiridos com liquidação em moeda estrangeira e vendidos com liquidação em moeda local (dólar alternativo)", de acordo com o decreto.

Até agora, estava em vigor uma porcentagem de 70% na taxa de câmbio oficial e 30% nos mercados alternativos.

No domingo, o libertário Javier Milei derrotou o atual ministro da Economia peronista, Sergio Massa, no segundo turno da eleição presidencial. O presidente eleito disse durante a campanha que iria dolarizar a economia argentina e eliminar o banco central.

(Reportagem de Walter Bianchi)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes