Presidente do BC britânico diz que inflação está no caminho certo para 2%, mas também vê riscos

LONDRES (Reuters) - O presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), Andrew Bailey, disse nesta terça-feira que havia riscos de que a inflação no Reino Unido pudesse ficar muito alta, mas também viu sinais de que estava no caminho certo para voltar à meta de 2% do banco central.

Falando a parlamentares juntamente com outros membros do Comitê de Política Monetária do BoE, Bailey reiterou a sua mensagem de que a recente queda na elevada taxa de inflação britânica não significa que a batalha contra o crescimento dos preços foi vencida.

“Os riscos, e acho que o comitê está todo reunido nisso, os riscos são para cima”, disse Bailey.

Ele alertou que a falta de trabalhadores no Reino Unido para preencher vagas representava um risco para o futuro crescimento dos preços e que o conflito em Gaza também tinha o potencial de intensificar a pressão inflacionária.

No entanto, Bailey disse pensar que a posição do BoE em relação às taxas de juros não precisava de ser alterada.

"A opinião que tenho pessoalmente é que vimos sinais agora de que estamos... no caminho certo para voltar aos 2%", disse Bailey a um comitê do Parlamento.

O banco central britânico manteve as taxas de juros pela segunda reunião consecutiva este mês, após 14 aumentos consecutivos para combater uma inflação que atingiu um pico acima de 11% em outubro de 2022, antes de cair para 4,6% em outubro deste ano.

O BoE disse em sua reunião de novembro que espera que a inflação no Reino Unido –que se situava em 4,6% em outubro– regresse a 2% apenas no final de 2025.

Bailey disse esperar que a inflação termine 2023 um pouco abaixo do esperado pelo BoE, mas não muito.

Continua após a publicidade

Ele disse que qualquer tentativa de trazer a inflação de volta à meta mais rapidamente, aumentando mais os juros agora, levaria a inflação abaixo da meta.

(Por David Milliken)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes