Ata do BCE mostra que autoridades estão cautelosamente otimistas sobre inflação

FRANKFURT (Reuters) - A inflação da zona do euro está caindo conforme o esperado, ou até mesmo um pouco mais rápido, mas o Banco Central Europeu tem que manter a possibilidade de um aumento dos juros em jogo, concordaram as autoridades do banco no mês passado, de acordo com a ata de sua reunião de 25 e 26 de outubro.

O BCE manteve sua taxa de depósito no nível recorde de 4% em outubro, encerrando o ciclo mais acentuado de aperto monetário, e desde a reunião as autoridades do banco defenderam taxas estáveis para os próximos meses ou trimestres, alimentando as expectativas do mercado de que o próximo passo poderia ser um corte, possivelmente já em abril.

"A opinião é de que o Conselho do BCE deve estar pronto, com base em uma avaliação contínua, para novos aumentos da taxa de juros, se necessário, mesmo que isso não faça parte do cenário básico atual", disse o BCE.

No entanto, manter as taxas estáveis pareceu ser uma decisão fácil, já que as autoridades estavam de acordo unânime e concluíram que todos os seus critérios de avaliação do desempenho da inflação estavam indo na direção certa.

"De modo geral, o processo de desinflação parece estar ocorrendo em grande parte como esperado", disse o BCE. "Na verdade, o processo de desinflação estava ocorrendo um pouco mais rápido do que o esperado."

Ainda assim, os membros do BCE não estavam dispostos a tirar muitos conclusões de números surpreendentemente benignos do passado recente, argumentando que o aperto no mercado de trabalho pode reduzir a eficácia da política monetária rígida e que grande parte do impacto dos aumentos anteriores dos juros ainda não foi totalmente sentido.

O banco agora vê a inflação de volta à sua meta de 2% em 2025 e as autoridades pareciam concordar que a parte final da redução do aumento dos preços pode ser a mais desafiadora.

"De modo geral, presumiu-se que o último trecho para levar a inflação de volta à meta seria o mais difícil", disseram os membros do BCE. "Foi alertado que não se deve declarar vitória sobre a inflação no estágio atual."

A ata também mostrou que houve pouca ou nenhuma discussão sobre o fim antecipado dos reinvestimentos no Programa de Compra de Emergência Pandêmica de 1,7 trilhão de euros, com os membros do BCE concluindo que essa conversa é prematura.

Continua após a publicidade

Na verdade, eles concordaram em permanecer flexíveis no uso do dinheiro dos títulos a vencer nesse esquema, a principal ferramenta do banco durante a pandemia.

Ainda assim, várias autoridades argumentaram, tanto antes quanto depois da reunião, que o reinvestimento total até o final de 2024 é um exagero e que o BCE deveria discutir a redução antecipada do esquema.

(Reportagem de Balazs Koranyi)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes