Pesquisadores identificam nova espécie de dinossauro a partir de pegadas no interior de SP

SÃO PAULO (Reuters) - Estudos de pegadas encontradas no interior de São Paulo levaram pesquisadores à descoberta de uma nova espécie de dinossauro que passou pela região há milhares de anos, informou nesta quinta-feira o Serviço Geológico Brasileiro (SGB).

A espécie, denominada "Farlowichnus rapidus", teve suas pegadas detectadas em Araraquara (SP) na década de 1980 pelo padre e paleontólogo italiano Giuseppe Leonardi, que veio para o Brasil nos anos 1970.

Ele doou uma das amostras das pegadas encontradas na chamada formação de Botucatu -- um conjunto de rochas formadas por um antigo deserto de dunas no início do Cretáceo, com cerca de 140 milhões de anos -- ao Museu de Ciências da Terra (MCTer) em 1984.

De acordo com os pesquisadores, o dinossauro era um animal carnívoro pequeno, com um tamanho próximo ao de uma seriema. A descoberta foi publicada no periódico Cretaceous Research.

De acordo com o paleontólogo Rafael Costa, do MCTer, as pegadas estudadas são diferentes de todas as outras pegadas de dinossauros conhecidas, afirmou o Serviço Geológico em nota.

"Pela grande distância entre as pegadas da trilha encontradas é possível deduzir que era um réptil muito rápido que corria pelas antigas dunas", disse o órgão.

"Como ainda não foi encontrado um fóssil para analisar uma nova espécie e nominá-la, esse estudo foi responsável por estudar apenas as pegadas", acrescentou.

(Por Jake Spring e Eduardo Simões)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes