Black Friday atrai caçadores de descontos nos EUA e diversos países

Por Katherine Masters e Helen Reid e Arriana McLymore

(Reuters) - Compradores foram às lojas em todo o mundo na Black Friday desta sexta-feira em busca de eletrônicos, roupas e artigos domésticos com descontos, no início da temporada de compras de fim de ano que é crucial para os grandes varejistas.

A corretora TD Cowen reduziu sua estimativa de gastos com a festas de fim de ano nos Estados Unidos para um crescimento de 2% a 3%, ante expectativa de alta de 4% a 5%, ao prever um tráfego estável na Black Friday.

Com muitos consumidores pressionados pela inflação persistente e pelas altas taxas de juros, espera-se que os gastos com as festas de fim de ano nos EUA aumentem no ritmo mais lento em cinco anos. A maioria dos grandes varejistas reduziu suas contratações sazonais.

A expectativa é de que um recorde de 130,7 milhões de pessoas façam compras em lojas físicas e online nos EUA na Black Friday deste ano, segundo estimativas da National Retail Federation. O evento é conhecido pelas multidões que fazem fila nas grandes lojas de madrugada para comprar TVs e eletrodomésticos com desconto.

Compradores norte-americanos planejam gastar, em média, 875 dólares em compras de fim de ano -- 42 dólares a mais do que no ano passado, de acordo com uma pesquisa com 8.424 adultos realizada no início de novembro pela National Retail Federation, um grupo de comércio varejista dos EUA.

Em média, compradores na França planejavam gastar 295 euros (322 dólares), segundo a PwC, e 65% das compras deveriam ser feitas online.

No Reino Unido, os volumes de transações aumentaram apenas 1,4% na semana até quarta-feira, em comparação com um ano atrás, de acordo com o Barclays, um banco que registra quase metade das transações com cartões de crédito e débito do país.

O aumento das compras online reduziu a importância da Black Friday como um evento de um único dia. Varejistas, da Macy's até a Amazon, lançam ofertas já em outubro e geralmente oferecem descontos adicionais mais perto do Natal, disse o presidente-executivo da Macy's, Jeff Gennette, aos investidores este mês.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes