Economia da Alemanha tem leve retração no 3º trimestre

BERLIM (Reuters) - A economia da Alemanha encolheu ligeiramente no terceiro trimestre em comparação com os três meses anteriores, mostraram dados do escritório de estatísticas nesta sexta-feira.

Os números confirmaram uma estimativa inicial, publicada no final de outubro, que indicava que a maior economia da Europa havia encolhido 0,1%.

"Após o fraco desenvolvimento econômico observado no primeiro semestre de 2023, a economia alemã começou o segundo semestre do ano com uma leve queda no desempenho", disse Ruth Brand, presidente do escritório de estatísticas.

A Alemanha tem estado entre as economias mais fracas da Europa este ano, já que os altos custos de energia, a fraqueza das encomendas globais e as taxas de juros mais altas têm cobrado seu preço.

No segundo trimestre, a economia da Alemanha cresceu 0,1%, depois de ter estagnado nos três primeiros meses do ano.

O Produto Interno Bruto (PIB) ajustado contraiu 0,4% em relação ao ano anterior no terceiro trimestre.

Os gastos privados do consumidor, que respondem por cerca de dois terços do PIB, foram 0,3% menores do que no trimestre anterior, informou o escritório de estatísticas. Os gastos do governo com consumo aumentaram 0,2% pela primeira vez em mais de um ano, acrescentou.

Uma decisão judicial que bloqueou a transferência de fundos não utilizados da pandemia para o investimento verde e abriu um buraco de 60 bilhões de euros no orçamento do governo levou a uma grande incerteza sobre os investimentos planejados.

"As medidas de austeridade do governo podem levar a um enfraquecimento adicional do crescimento", disse o economista-chefe do VP Bank, Thomas Gitzel, acrescentando que "é improvável que o consumo privado ou o investimento aumentem repentinamente"

Continua após a publicidade

O banco central alemão disse em seu relatório econômico mensal na segunda-feira que a economia alemã provavelmente encolherá novamente no quarto trimestre e mostrará sinais de ligeira melhora no início do próximo ano.

(Reportagem de Miranda Murray)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes