Wall St fecha em baixa em meio à loucura da Cyber Monday

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - As ações dos Estados Unidos caíram nesta segunda-feira, com investidores fazendo uma pausa pós Dia de Ação de Graças, conforme a temporada de compras de fim de ano ganhava ímpeto e varejistas atraíam caçadores de pechinchas com as ofertas da chamada "Cyber Monday".

Os três principais índices de ações dos EUA terminaram a sessão em quedas modestas.

A expectativa é de que as ofertas de compras online como parte da Cyber Monday levem compradores a gastar um recorde de 12 bilhões de dólares, de acordo com a Adobe Analytics, no mais recente sinal otimista sobre a saúde do consumidor norte-americano, cujos gastos são responsáveis por cerca de 70% do Produto Interno Bruto dos EUA.

A resiliência do consumidor e a rigidez do mercado de trabalho, em meio a sinais de uma economia em declínio, fizeram com que muitos observadores do mercado digerissem a possibilidade de que, embora o Federal Reserve tenha chegado ao fim de seu ciclo de aperto monetário, ele poderá manter os juros restritivos por mais tempo do que o esperado.

Os mercados financeiros precificaram uma probabilidade de 96,8% de que o banco central norte-americano deixará inalterada a taxa básica do Fed na reunião do próximo mês, com a possibilidade de um corte nos juros começando a ganhar terreno em meados de 2024, de acordo com a ferramenta FedWatch da CME.

O Dow Jones caiu 0,16%, para 35.333,47 pontos. O S&P 500 perdeu 0,20%, para 4.550,43 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq teve variação negativa de 0,07%, para 14.241,02 pontos.

Entre os 11 principais setores do S&P 500, os de saúde e industrial sofreram as maiores quedas percentuais, enquanto os de imobiliário e consumo discricionário tiveram os maiores ganhos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes