BCE não deve definir sua política com base em preocupações sobre lucros, diz De Guindos

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) não deve definir sua política monetária com base em considerações sobre sua própria lucratividade ou sobre os lucros obtidos pelos bancos, disse o vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, em uma entrevista a um jornal, opinando sobre uma divergência entre as autoridades.

Algumas autoridades do BCE estão interessadas em aumentar as exigências de reservas mínimas não remuneradas para os credores, em parte para reduzir as perdas que o banco central deverá ter ao ter que pagar juros altos e recordes sobre o excesso de liquidez.

"Entendo que a remuneração das reservas é importante para alguns bancos, mas a política monetária não deve ser orientada pela posição financeira dos bancos ou pelos lucros dos bancos centrais", disse de Guindos em uma entrevista aos jornais belgas De Standaard e La Libre Belgique.