Durigan vê 2024 "complicado e difícil", mas reitera compromisso com meta fiscal

Por Fabricio de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Dario Durigan, afirmou nesta sexta-feira que o ano de 2024 será "complicado e difícil", mas que o governo vai trabalhar para cumprir a meta de resultado primário zero.

Na qualidade de ministro da Fazenda interino, já que o titular, Fernando Haddad, está em viagem no exterior, Durigan reiterou que o compromisso do governo é de zerar o déficit fiscal e "dar sustentabilidade à dívida pública".

"Se não equilibramos as contas públicas no país, a população carente é quem mais sofre", afirmou, durante evento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em São Paulo.

A fala de Durigan esteve em sintonia com os comentários feitos pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, no mesmo evento. De acordo com Padilha, o objetivo de resultado primário zero é "ousado".

No mercado financeiro, a avaliação mais geral é de que o cumprimento da meta de primário zero em 2024 é improvável, já que exigiria aumento significativo das receitas. Ainda assim, analistas afirmam que é importante que o governo siga buscando a meta.

Durante evento nesta sexta-feira, Durigan afirmou ainda que o governo Lula seguirá com a política de reformas microeconômicas no próximo ano. Entre elas, o ministro interino defendeu a revisão da Lei de Falências.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes