Indústria da China tem expansão inesperada em novembro, mostra PMI do Caixin

PEQUIM (Reuters) - A atividade industrial da China expandiu inesperadamente em novembro diante do aumento das encomendas, segundo uma pesquisa privada divulgada nesta sexta-feira, mas a demanda externa lenta continua a pesar.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) industrial do Caixin/S&P Global subiu para 50,7 em novembro, em comparação com a leitura de 49,5 em outubro, marcando a expansão mais rápida em três meses e superando as previsões dos analistas de 49,8. A marca de 50 pontos separa crescimento de contração.

O setor industrial está lutando para se recuperar, com o PMI oficial mostrando retração pelo segundo mês na quinta-feira, apesar de o crescimento econômico da China ter sido melhor do que o esperado no terceiro trimestre.

As pesquisas oficial e da Caixin têm amostras diferentes, com o PMI da Caixin concentrando-se nas empresas voltadas para a exportação e nas pequenas e médias empresas da região costeira do país.

"A economia está funcionando em ritmos diferentes entre os setores, embora esperemos que a postura de política econômica permaneça proativa, o que ajudará a sustentar o impulso geral de crescimento nos próximos trimestres", disseram economistas do HSBC na quinta-feira.

Os dados foram sustentados pelo aumento mais rápido desde junho nos novos pedidos recebidos pelos produtores de bens chineses em novembro.

Os proprietários de fábricas, portanto, expandiram sua produção e atividade de compras, com os dois subíndices voltando a crescer em novembro, depois das contrações em outubro.

A segunda maior economia do mundo apresentou uma recuperação pós-pandemia fraca, pressionada por uma desaceleração do setor imobiliário, riscos de dívidas de governos locais e crescimento global lento. O governo lançou uma série de medidas este ano para sustentar o crescimento.

(Reportagem de Liangping Gao e Ryan Woo)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes