Gastos com lobby do setor de moedas digitais dos EUA deve ter novo recorde em 2023

Por Hannah Lang

WASHINGTON (Reuters) - O setor de criptomoedas está a caminho de atingir um novo recorde de gastos com lobby federal nos Estados Unidos, depois de um ano em que as empresas se esforçaram para melhorar reputações e promover uma legislação favorável, de acordo com dados fornecidos à Reuters pelo grupo de pesquisa sem fins lucrativos OpenSecrets.

As empresas de moedas digitais investiram 18,96 milhões de dólares nos três primeiros trimestres de 2023 em lobby, em comparação com 16,1 milhões durante o mesmo período em 2022. Isso ocorreu apesar do colapso espetacular da bolsa de criptomoedas FTX no ano passado, que tinha sido uma das dez maiores promotoras do setor entre autoridades. No ano passado, empresas como a FTX gastaram quase 22 milhões em lobby no total.

A Coinbase, a maior bolsa de criptomoedas dos EUA, liderou o grupo novamente, gastando 2,16 milhões de dólares, e foi seguida pela Foris DAX, que opera Crypto.com, Blockchain Association e Binance Holdings.

"Nosso objetivo é nos envolver diretamente com os parlamentares, construir relacionamentos e preencher a lacuna educacional para construir uma estrutura regulatória sensata", disse Kristin Smith, presidente-executivo da Blockchain Association, em comunicado.

As empresas de criptomoedas têm se expandido em Washington, em parte para tentar melhorarem suas reputações após uma série de escândalos no ano passado, incluindo o colapso da FTX, cujo ex-presidente-executivo Sam Bankman-Fried era uma presença familiar em Washington. Ele foi considerado culpado de fraude no mês passado por um júri em um tribunal federal de Manhattan.

As empresas de moedas digitais também têm tentado combater a crescente fiscalização regulatória, especialmente da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), que diz que o setor tem desrespeitado suas regras. O lobby aumentou depois que a SEC processou a Coinbase e a Binance em junho por supostamente não terem registrado tokens, alegações que as empresas negam.

O setor também tem pressionado a SEC para aprovar um fundo negociado em bolsa (ETF) de bitcoin, o que abriria a maior criptomoeda do mundo para milhões de investidores. O otimismo de que a agência dará luz verde ao produto, depois de perder para um tribunal importante sobre o assunto em meados do ano, ajudou a levar o bitcoin a uma alta de 20 meses na segunda-feira.

As empresas de moedas digitais também têm tentado avançar com uma legislação amigável na Câmara dos Deputados dos EUA e obtiveram uma vitória em julho, quando um comitê do Congresso norte-americano aprovou dois grandes projetos de lei que, segundo os lobistas, ajudarão a esclarecer quais regras financeiras existentes se aplicam às empresas de criptomoedas.

Continua após a publicidade

Binance e Crypto.com não comentaram o assunto.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753))

REUTERS AAJ PF

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes