Queda na atividade empresarial da zona do euro em novembro aumenta as expectativas de recessão, aponta PMI

LONDRES (Reuters) - A retração da atividade comercial da zona do euro perdeu força no mês passado, mas ainda indica que a economia do bloco sofrerá uma nova contração neste trimestre, já que o setor de serviços continua a ter dificuldades para gerar demanda, segundo uma pesquisa.

No último trimestre, a economia contraiu 0,1%, de acordo com dados oficiais, e o Índice de Gerentes de Compras (PMI) Composto de novembro, divulgado nesta terça-feira, indicou que o bloco monetário de 20 países está a caminho de contrair novamente neste trimestre, atendendo à definição de recessão técnica.

O PMI composto do HCOB, compilado pela S&P Global e visto como um bom indicador da saúde econômica geral, subiu para 47,6, em comparação com a mínima de quase três anos registrada em outubro de 46,5, ficando acima da preliminar de 47,1.

Essa foi a melhor leitura desde julho, mas permaneceu firmemente abaixo da marca de 50, que separa crescimento de contração.

O PMI do setor de serviços subiu para 48,7, em relação aos 47,8 registrados em outubro.

"O setor de serviços manteve sua tendência de queda em novembro. A melhora modesta do índice de atividade não deixa muito espaço para otimismo em relação a uma recuperação rápida no futuro imediato", disse Cyrus de la Rubia, economista-chefe do Hamburg Commercial Bank.

"A perspectiva sombria é reforçada pela quinta retração mensal consecutiva no volume de novos negócios. Uma queda no PIB está prevista para o quarto trimestre."

O subíndice que mede as novas encomendas - um indicador da demanda - ficou abaixo de 50 pelo quinto mês, embora tenha aumentado de 45,6 para 46,7.

(Reportagem de Jonathan Cable)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes