Cogna vê chance de bater R$1 bi em geração de caixa em 2024; revisa previsão de Ebitda

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Cogna deve bater "com tranquilidade" 1 bilhão de reais em geração de caixa operacional em 2024, dado o ritmo de crescimento "muito bom" nessa métrica nos últimos anos, disse nesta quinta-feira o presidente-executivo do grupo de educação, Roberto Valério Neto, em evento a investidores.

O executivo disse que a empresa continua em um ritmo acelerado de expansão do caixa, com alta de 37% nos nove meses de 2023 ano a ano, e que os últimos três meses do ano devem ser um bom trimestre, entre outras razões, pelo faturamento do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).

Citando previsões de mercado e dados históricos, o executivo afirmou que a perspectiva aponta para uma geração de caixa operacional de 709 milhões de reais. "Nós estamos muito perto e apenas nos primeiros nove meses." Até outubro, a geração somava 652,7 milhões de reais.

Olhando para 2024, ele afirmou que o consenso das projeções no mercado aponta para uma geração em torno de 800 milhões de reais, o que segundo o presidente-executivo da Cogna representa um crescimento bem abaixo do que historicamente a empresa está entregando.

"Nós vamos superar o consenso. A gente tem convicção disso. E a gente entende que 1 bilhão (de reais) de caixa é algo que a gente vai encontrar", afirmou. "Fazendo conta, nem precisa fazer uma conta muito difícil, nossa geração de caixa para 2024 deveria bater 1 bilhão de reais com tranquilidade."

Mais cedo, a Cogna também anunciou alteração em projeção para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente no próximo ano, de 2,4 bilhões de reais para a faixa de 2,1 bilhões a 2,4 bilhões de reais, citando alterações "no cenário macroeconômico e no próprio negócio".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes